Como seu xará famoso, John Lennon é morto a tiros em Timóteo

05/08/2022 13h43

O mesmo nome, a mesma morte, 41 anos depois. Foi o que acontece com o ajudante John Lennon, de 30 anos, morador de Timóteo, que foi assassinado a tiros na manhã desta sexta-feira, 5, no bairro Novo Tempo, em Timóteo.

De acordo com a Polícia Militar, antes de ser morto, John Lennon foi perseguido por dois indivíduos em uma avenida do bairro tendo sido alcançado e fatalmente alvejado na altura da rua Estrela Dalva. A seguir, os suspeitos fugiram em um Fiat Pálio, prata, tomando rumo ignorado.

John Lenon foi encontrado pela PM, que o avistou caido em uma ribandeira. Ao verificarem, viram que o mesmo havia sido atingido na cabeça e já estava sem vida. A perícia da Polícia Civil foi chamado e encontrou no local nove capsulas de uma arma 9 milimetros e que além da cabeça, ele foi atingindo na nuca.

Com a vitima foram encontrados R$ 10, um par de chinelos e um isqueiro, que foram entregues a um parente que fez a identificação do corpo. Esse mesmo parente disse ainda desconhecer que John Lennon tivesse problemas com alguém.

Modus operandi semelhante

A morte do rapaz de Timóteo traz, além do nome, algumas semelhanças com o que aconteceu com seu "xará" famoso, o ex-beatle John Lennon, que foi assassinado a tiros e, 8 de dezembro de 1980, em frente ao prédio onde morava em Nova Iorque. Naquele mesmo dia, aproximadamente às 17h , ele autografou uma cópia do álbum Double Fantasy para o fã Mark Chapman antes de deixar o Dakota com Yoko Ono para uma sessão de gravação no Record Plant Studios.

Após a sessão, Lennon e Ono retornaram ao seu apartamento em Manhattan em uma limusine por volta das 22h50. Eles saíram do veículo e atravessaram a arcada do prédio quando Chapman atirou em Lennon quatro vezes pelas costas a curta distância. O músico foi levado às pressas em uma viatura policial para o pronto-socorro do Hospital Roosevelt, onde foi declarado morto na chegada, às 23h

Sua viúva, emitiu um comunicado no dia seguinte, onde disse que "não haveria funeral", terminando com as palavras "John amava e orava pela raça humana. Por favor, faça o mesmo por ele". Seus restos mortais foram cremados no Ferncliff Cemetery, em Hartsdale, Nova Iorque e suas cinzas espalhas pelo Central Park.

 

COMPARTILHE:
MAIS NOTICIAS
Acessem nossas redes sociais:
© 2022 — JORNAL DOS VALES - Todos os direitos reservados