PSDB lança Anastasia como pré-candidato ao governo de Minas

O senador Aécio Neves, que era considerado um quadro importante do partido, não apareceu ao encontro

O PSDB lançou na tarde desta segunda-feira (14) a pré-candidatura do senador Antonio Anastasia ao governo de Minas Gerais nas eleições deste ano. O evento foi realizado em um hotel em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Participaram do ato político representantes de diversas legendas que devem compor o arco de aliança em prol do nome do tucano. Entre eles estão PP. PPS, PTB, PSC e PSD. Essas duas últimas agremiações já fizeram eventos para selar o apoio a Anastasia.

O senador afirmou em coletiva de imprensa que está em tratativas com várias outras siglas que tradicionalmente caminharam com o PSDB. ?A fase agora é o de diálogo e da conversa. Temos paciência porque a campanha é mais curta, as convenções são até 15 de agosto. Então ainda temos tempo para essas discussões. Vamos tentar, é claro, fazer a coligação mais forte para termos apoio e volto a reiterar, sempre com apoio de segmentos da sociedade civil, além dos partidos?, disse.

O tucano também não descartou negociações com o MDB, que hoje está rompido com atual governador Fernando Pimentel (PT). No início do mês, a agremiação determinou em prévias partidárias que vai ter candidato próprio na corrida pelo comando do Palácio da Liberdade. 

?A política é a arte do entendimento da palavra. Nós temos no MDB várias pessoas próximas. Quando fui candidato em 2010, ainda que na época o adversário fosse do MDB (Hélio Costa), centenas de prefeitos do partido me apoiaram formalmente. Então existe abertura de diálogo hoje com o MDB, assim como com outros partidos. Mas volto a dizer que sem pressa, com calma, com serenidade e, sobretudo, com muito respeito a posição de cada partido. A campanha da minha parte vai ser de alto nível?, declarou o pré-candidato.

Sobre a escolha de um vice, já que é comentado que o deputado federal Marcos Montes (PSD), que chegou ao lado dele ao ato político,  Anastasia explicou que essa decisão ficará a cargo das legendas aliadas. ?Ele representa uma região muito importante, do Triângulo Mineiro. Mas uma decisão sobre vice não caberá a mim, mas de uma convergência dos partidos. Eles, em comum acordo, fazer a escolha do melhor nome?, disse o senador. 

Estratégia

No evento, representantes de diversas áreas, como saúde, educação e segurança fizeram questionamentos sobre os respectivos temas para Antonio Anastasia. Nas perguntas dos convidados e respostas do senador não faltam críticas a atual gestão do Estado e são relembrados programas e ações feitos na época em que o tucano era governador, entre 2011 e 2014.

?Talvez por inveja dos nossos resultados, tudo foi sumariamente finalizado. Mas nós vamos reconstruir?, declarou ele ao comentar sobre a área da educação.

Ausência esperada

Como já era esperado, o senador Aécio Neves, que era considerado um quadro importante do PSDB, não apareceu ao encontro. E a tendência comentada nos bastidores é de que ele não participe da campanha de Anastasia. O receio é de que Aécio atrapalhe o pré-candidato eleitoralmente, uma vez que é réu de ações que tramitam no Supremo Tribunal Federal (STF).

Mas publicamente o que é dito por parlamentares do PSDB é que Aécio Neves vai se concentrar, neste momento, em construir sua defesa. E que, no momento certo, ele vai decidir se vai participar ou não do pleito deste ano. Essa, inclusive, é a justificativa usada por Anastasia.

Questionado se um dos motivos para que ele aceitasse a entrar na disputa eleitoral foi porque ele teria total autonomia na campanha e determinou que seria sem a presença de Aécio, o senador afirmou que o tucano vai decidir o seu futuro e cabe aguardar. 

?Essa campanha eu terei a liderança e o comando da campanha, delegado pelo partido que estão apoiando minha candidatura. O senador Aécio vai decidir a seu tempo e a sua hora se é candidato ou não. Nós temos que aguardar e respeitar a sua decisão. É natural agora que é muito boato, muita conversa, mas nós vamos trabalhar firme para termos uma pré-candidatura consolidada e depois, se Deus quiser, uma candidatura vitoriosa ao governo?, declarou Anastasia.