Santa Casa de BH ganha dez leitos para transplantes

Expectativa é que haja um aumento de 33% no número de internações na unidade da capital

A inauguração de dez novos leitos no Centro de Transplantes da Santa Casa de Belo Horizonte, no bairro Santa Efigênia, região Centro-Sul de Belo Horizonte, contou com uma presença especial nessa sexta-feira (27). O ministro da Saúde, Gilberto Magalhães Occhi, esteve na capital mineira para conhecer as novas instalações do hospital, que passou por reforma e agora conta com 39 leitos exclusivos para o transplante de órgãos e de medula óssea. 



Com a ampliação, a expectativa é que haja um aumento de 33% no número de internações na unidade. Por mês, são cerca de 25 internações. De 2016 até março, a Santa Casa realizou 132 transplantes de medula óssea, 31 de fígado, 154 de rim e 236 de córnea.



A medida vai ajudar pacientes como o vigilante Décio Soares da Silva, que recebeu um rim e um fígado em fevereiro, após um ano e meio de espera. Com a cirurgia, ele ficou livre da hemodiálise, que fazia três vezes por semana, quatro horas por dia. ?Eu estava sofrendo demais. Não enxergava direito, estava fraco, deteriorado. Eu tinha perdido o prazer de viver. Depois do transplante minha vida mudou, eu nasci de novo.



De acordo com o diretor de Assistência à Saúde da Santa Casa, Guilherme Riccio, além de promover mais atendimentos, o aumento de leitos também é fundamental para o início da ampliação de transplantes.



?Além de aumentarmos o número de atendimentos, iniciamos um projeto que Minas Gerais não tem: o transplante de medula óssea infantil. Por coincidência, hoje (27), será feito o primeiro transplante pediátrico daqui, em uma criança de 8 anos?, afirmou Riccio. 



O ministro ainda anunciou, para o próximo dia 8, uma vistoria na Santa Casa da capital mineira, a fim de verificar a possibilidade de o hospital realizar transplantes de coração e osso.