Ouvidoria do MP recebe 400 reclamações contra concurso da Educação em Minas

Candidatos relataram vários problemas nas provas realizadas no domingo (8)

A Ouvidoria do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) recebeu até a tarde dessa terça-feira (10) cerca de 400 reclamações sobre o concurso para profissionais do setor de educação realizado no domingo (8).

O concurso promovido pela Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE-MG) tem quase 17 mil vagas.

De acordo com o MP, entre as principais queixas dos candidatos estão provas começando em horários diferentes, candidatos com celular, provas faltando, provas xerocadas e envelopes que chegaram nas salas abertos.

Segundo a Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público, as reclamações ainda não foram repassadas pela Ouvidora. O mais provável é que elas sejam incorporadas pelo Inquérito Civil que está em andamento.

O concurso foi organizado pela Fundação Mariana Resende Costa (Fumarc). A empresa disse que está apurando as situações relatadas pelos participantes.

A SEE-MG informou, na segunda-feira, que não cogita o cancelamento do concurso, uma vez que não há elementos comprovados para tal medida.

Atraso

A Fumarc disse, em nota, que o concurso enfrentou um problema de logística, o que causou o prolongamento do horário de início das provas em 60 minutos.

Segundo a empresa, o material que seria destinado a quatro escolas de Belo Horizonte, foi embarcado em um veículo da Fumarc com uma rota de distribuição errônea.

O início do concurso, em todas as regiões, ocorreu quando as quatro escolas receberam o material de apoio para garantir aos candidatos as mesmas condições na realização das provas, explicou a Fumarc.