Leilão da BR 116 é homologado pela União

Foto: Marcelo Luciano

Uma das mais tradicionais rodovias federais do país, a BR-116, conhecida em Minas como Rio-Bahia, tem agora parte do seu trecho, entre a capital fluminense e Governador Valadares sob administração da iniciativa privada.

Isso se tornou realidade graças ao leilão realizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que homologou nesta quinta-feira, 9, o resultado do certame, realizado no último dia 20 de maio, em que a EcoRodovias levou a concessão.

A companhia, que não enfrentou concorrência, ofereceu um desconto de 3,11% sobre a tarifa básica de pedágio proposta pela ANTT. Com o pacote, a concessionária passa à condição de maior operadora de ativos rodoviários do país, com mais de 4,1 mil quilômetros de malha.

O sistema da Rio-Valadares terá 727 quilômetros, e inclui trechos das BRs 116, 465 e 493, passando por regiões como o Arco Metropolitano do Rio e a Serra de Teresópolis. Para levar a concessão, que terá prazo de 30 anos, a EcoRodovias terá de investir cerca de R$ 21 bilhões A concessão prevê ainda a duplicação de 303 quilômetros de pistas.

A maior parte dos trechos contemplados no plano de concessão é mineira. O Estado conta com 407,5 km incluídos no projeto, saindo da cidade de Governador Valadares e seguindo até a cidade de Além Paraíba, na divisa com o Rio de Janeiro Segundo o ministério, apenas o trecho mineiro da BR–116 vai receber cerca de R$ 4,2 bilhões de investimentos, quase a metade do valor investido em todo o trecho.

A rodovia em Minas também vai receber o maior número de intervenções. Segundo a ANTT, estão previstos 190 km de duplicações e a construção de 130 km de faixas adicionais. Hoje, o trecho é quase todo em pista simples, contando com apenas 1,7 km de pista dupla. Estão previstas para o trecho 22 km de vias marginais, 38 novos retornos, 275 novos acessos e 22 passarelas