Prefeitos do G4 buscam alternativas para tarifa do transporte coletivo

Foto: Marcelo Luciano

Os prefeitos das G4, grupos que conta com as cidades que foram a chamada Região Metropolitana do Vale do Aço, estão, neste momento, “quebrando a cabeça” para discutir alternativas para o reajuste da tarifa do transporte público na região, atendendo ao pleito das concessionárias, mas não onerando os usuários. O prefeito de Coronel Fabriciano, Marcos Vinícius Silva Bizarro, foi o anfitrião e recebeu os colegas de Paraíso, Bruno Morato, Timóteo, Douglas Willkys. O prefeito de Ipatinga, Gustavo Nunes, participou remotamente.

As empresas pedem o reajuste de 59%, com base no IGPM de setembro de 2019 a abril 2022, uma vez que os valores ficaram congelados por dois anos. Em cada município é praticado um valor. No caso da demanda do consórcio para Fabriciano, elevaria a tarifa de R$ 4,10 para R$ 7,50.

Os prefeitos descartam tal margem, mas entendem que houve nos últimos anos, aumento nos custos para as empresas, sobretudo, do combustível que é o principal insumo. As planilhas ainda estão sob estudo e uma das saídas possíveis é a definição de valor único da tarifa para as quatro cidades. Uma nova reunião está prevista para acontecer nesta sexta-feira, 20.