Cidades mineiras se mobilizam para atrair fábrica da Heineken

Ao menos 11 cidades já se candidataram para receber os investimentos da cervejaria holandesa

Ao menos 11 cidades mineiras já se candidataram para receber a fábrica da Heineken, após a cervejaria desistir da instalação em Pedro Leopoldo, na Grande BH. De acordo com fontes consultadas pela reportagem, as apostas são feitas a partir de um formulário on-line disponibilizado pela empresa.

Entre os candidatos estão municípios de pequeno a grande porte. Com cerca de 9 mil habitantes, Rio Novo, na Zona da Mata mineira, aposta na proximidade do aeroporto Presidente Itamar Franco, localizado em Goianá, como principal diferencial.

“O aeroporto é o segundo em extensão de pista no estado. A confecção é para receber cargueiros, mas também opera com voos de Minas para São Paulo. Recentemente, o município adquiriu um grande terreno em frente ao aeroporto para construir seu distrito industrial”, afirma o vereador Allan Borges (Cidadania), que compõe a base de apoio do prefeito Ormeu Rabello Filho, do mesmo partido.

De acordo com Allan, o terreno tem espaço suficiente para abrigar a fábrica da cervejaria. Ele afirma que o rio que dá nome ao município tem a vazão necessária para produção das bebidas.

Com população quase sete vezes maior que Rio Novo, Mariana aposta nos recursos recebidos da Fundação Renova, entidade criada para reparar os danos da tragédia com a Barragem de Fundão, para seduzir a marca internacional.

“Mariana tem um recurso do Fundo Diversifica Mariana de R$ 55 milhões. Esse fundo é para ser utilizado na diversificação econômica do município. Acredito que poucas cidades têm um recurso como esse”, afirma o prefeito Juliano Duarte (Cidadania).

Além disso, Juliano afirma que a duplicação da BR-356 pode incentivar a Heineken a escolher a cidade. O atrativo turístico de Mariana, por meio do patrimônio histórico, é outro trunfo do prefeito.

"Melhor Antarctica do Brasil"
A tradição na produção de cervejas compõe o arsenal de propostas da Prefeitura de Pirapora, no Norte de Minas, para convencer a Heineken.

Em conversa com a reportagem, o prefeito Alex César (PTB) relembrou que a cidade já abrigou uma fábrica da Antarctica até 1998. “Produzimos aqui a melhor cerveja do Brasil, a Antarctica de Pirapora. Temos uma mão de obra que já conhece esse tipo de produção”, afirma.

Outros fatores apontados por César são os fatos de Pirapora estar ao lado do Rio São Francisco e da cidade fazer parte da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). “É um trecho menos poluído do rio. Estamos na área mineira da Sudene, onde as empresas se instalam com benefícios fiscais”, garante.

"Marca mundial"
Em Ouro Preto, na Região Central de Minas Gerais, o secretário de Desenvolvimento Econômico Felipe Vecchia quer aliar a marca da Heineken com a da cidade para criar uma parceria do ponto de vista da publicidade.

"Nós temos mais de 400 eventos no nosso calendário durante o ano. A Heineken poderia aproveitar isso como estratégia de marketing. A cidade patrimônio da humanidade com um calendário desse... É muito importante", afirma Felipe.

De acordo com ele, a mão de obra de qualidade gerada a partir da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) também é outro peso a favor da cidade.

Assim como Mariana, Vecchia diz que Ouro Preto está dentro do projeto da Renova para diversificar a atividade econômica do município, hoje dependente do turismo, da educação e da mineração.

"Uma das linhas para diversificar a economia é a atração de grandes empresas. Estão todos juntos aqui com a missão única de diversificar a economia. Acreditamos que a Heineken vindo para Ouro Preto vai aliar sua marca com outra marca mundial", ressalta.

Outras cidades
Também no Norte do estado, a pequena Buenópolis, de 10 mil habitantes, se candidatou. A prefeitura tem como atributos os modais rodoviário (BR-135) e ferroviário. "Temos uma topografia privilegiada, água de qualidade e um povo trabalhador”, afirmou o prefeito Célio Santana (PDT) pelas redes sociais.

Em Entre Rios de Minas, no território Central de Minas Gerais, o Executivo municipal informa que também preencheu o questionário da Heineken, "apresentando todas as contrapartidas e os benefícios da instalação no município".

A cidade cita a localização próxima de Belo Horizonte e a matéria-prima como trunfos.

No Vale do Rio Doce, Jaraguaçu é conhecida como “Cidade das Águas”. Segundo a prefeitura, o município conta com mais de 50 nascentes e está próximo de outros pólos comerciais, como o Rio de Janeiro.


Estado se posiciona
Em nota, a Secretaria de Estado Desenvolvimento Econômico (Sede) informou que apoia “o Grupo Heineken na busca de outra localidade em Minas Gerais para a construção da nova unidade da cervejaria”.

Também salientou que a atual gestão atraiu R$ 192,8 bilhões em investimentos, o que supera em 28% os R$ 150 bilhões estimados para os quatro anos do governo Romeu Zema (Novo).

Heineken
Em nota, a Heineken informou que "não tem um território definido para a construção de sua nova fábrica" e reafirmou "seu compromisso com o estado de Minas Gerais”.

“A companhia está estudando outras áreas e, tão logo seja definido, anunciará o novo local em que será instalada sua cervejaria”, completou a marca.