Itapemirim suspense seus voos e fica à beira da falência



Atoladas em dívidas e com problemas de gestão do negócio, a Itapemirim Transportes Aéreos (ITA), suspendeu nesta sexta-feira, 17, suas operações e pouso e decologem em todo o país. O reflexo disso foram milhares de passageiros nos principais aeroportos brasileiros sem conseguir embarcar e, se o que está ruim ainda pode ficar pior, sem qualquer assistência por parte da companhia.

Fundada em 2020, a ITA iniciou seus voos em julho deste ano, em meio à muitas expectativas de uma nova empresa aérea em um setor particamente cartelizado no Brasil. Mas, ao contrário das previsões iniciais de sucesso, a empresa conseguiu apenas acumular problemas como atrasos de salários e benefícios de funcionários, suspensão do plano de saúde, dívidas com fornecedores, descumprimento de horários, cancelamentos de voos, atendimento criticado por clientes e envio de dados errados sobre número de passageiros para a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

Em nota, a companhia disse que estava negociando individualmente com cada uma dessas empresas e que a suspensão dos serviços servirá para a empresa se reorganizar e conseguir com isso, voltar ao mercado.