Críticas por meio de imagens midiáticas

Marginalidade e feminismo estão inseridos nas obras de Rafael Perpétuo e Clarice Steinmüller


Por meio de reprodução de imagens midiáticas e do cotidiano, os artistas Rafael Perpétuo e Clarice Steinmüller promovem críticas à sociedade e à indústria cultural de massa. Essa é a tônica de ?O Estado das Coisas?, com obras de ambos e aberta ao público desta sexta-feira (16) até o dia 15 de abril, na Galeria de Arte da Copasa, todos os dias, das 8h às 19h.



?Clarice e eu trabalhamos juntos há um tempo. Desde 2012, temos um grupo que se chama Indigestão. Temos vários pontos em comum, como o uso da técnica parecida, o uso de muita reprodução de imagem. Quanto aos temas, o feminismo está mais aflorado nas obras dela. E eu abordo mais a marginalidade, as questões que ficam à margem da sociedade?, ressalta Perpétuo, que espera que a exposição cumpra bem seu papel junto ao público.



?Um lado da arte é o de criar um estranhamento, um desconforto. A gente quer discutir aquilo que muitas pessoas não querem discutir. Não se pode perder o lugar da fala na arte. A ideia é realmente criar reflexões, trazer algo que não seja só contemplativo e fazer as pessoas conversarem sobre os temas abordados?, declara.



Clarice destaca ainda uma outra faceta da mostra. ?Apesar de ser uma exposição carregada de discussões, de complexidades e de quebra de tabus, também há uma delicadeza nas obras. Trata-se de uma discussão mais fluída e mais orgânica?, garante.



Ela aproveita a deixa para apontar algumas de suas maiores referências no mundo das artes. ?Eu trabalho com várias linguagens. Sou formada em pintura e fotografia. Então, gosto de muita coisa, desde obras de pintores da Renascença até artistas da pop arte. Tento me utilizar de uma veia mais clássica ou moderna, a partir de algo mais da contemporaneidade?, complementa.



Serviço. ?O Estado das Coisas?, de Clarice Steinmüller e Rafael Perpétuo, desta sexta-feira (16) até o dia 15 de abril, das 8h às 19h, na Galeria de Arte Copasa (rua Mar de Espanha, 525, bairro Santo Antônio). Entrada franca