Cinco pessoas são condenadas por homicídio de lanterneiro em Inhapim

Foto: PCMG/Divulgação

A polícia civil prendeu Filipim Vovô no dia 02 de outubro de 2019

Cinco pessoas foram condenadas por homicídio qualificado em sessão do Tribunal do Júri que terminou na noite desta quinta-feira (26) em Inhapim. O julgamento contou com a atuação do promotor de Justiça Igor Peixoto Marques. Conforme denúncia do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), em setembro de 2019, os réus participaram do assassinato do lanterneiro Jonas Pedrosa da Silva, 51 anos.

Analicia Carlos da Costa Santos, que mantinha relação extraconjugal com a vítima, e o filho dela, Carlos Henrique da Costa, mandantes do crime, foram condenados, respectivamente, a 19 anos e seis meses e 22 anos e seis meses de reclusão. Eles contrataram dois homens para executar o crime.

Os dois homens contratados usaram uma motocicleta roubada para ir até o local onde a vítima se encontrava e efetuaram três disparos de arma de fogo. Filipe Roque da Silva, vulgo, "Filipim Vovô", autor dos disparos, foi condenado a 19 anos e seis meses de reclusão e o condutor da motocicleta, Davi Júlio Maciel de Oliveira, a 14 anos e três meses.

Uma quinta pessoa foi condenada a 14 anos e três meses de reclusão, por conseguir informações sobre os horários e locais onde a vítima poderia ser encontrada e repassá-las aos comparsas.