Reino Unido inicia vacinação em massa contra o coronavírus

O programa visa proteger os mais vulneráveis e os mais expostos num primeiro momento e permitir a volta à 'normalidade' quando grande parte da população estiver imunizada.

Imagem: PA Media

Profissional transporta vacinas no hospital universitário de Croydon, no Reino Unido

Doze meses depois do primeiro surto conhecido de Covid-19 na China, o Reino Unido começa nesta terça-feira (8/12) a imunizar as primeiras pessoas da fila daquele que será o maior programa de vacinação da história do Reino Unido. A estratégia vem sendo chamada informalmente de "V-Day", um apelido que alude ao dia da vitória (Victory Day) contra os nazistas na Segunda Guerra Mundial e, agora, a um "Vaccine Day" (Dia da Vacina).

Doses da vacina produzida pela Pfizer/BioNTech serão distribuídas em cerca de 70 hospitais do Reino Unido para pessoas com mais de 80 anos e parte dos profissionais que atuam em unidades de saúde e em asilos.

O programa visa proteger os mais vulneráveis e os mais expostos num primeiro momento e permitir a volta à "normalidade" quando grande parte da população estiver imunizada.

Médico com nove netos, Hari Shukla, 87, disse estar "encantado de estar fazendo minha parte" ao ser imunizado nesta terça.

"Sinto que é meu dever fazer isso e tudo o mais que puder para ajudar", disse Shukla, que receberá sua vacina no Royal Victoria Infirmary, na cidade de Newcastle, com sua esposa, Ranjan.

O Reino Unido será o primeiro país do mundo a começar a usar a vacina Pfizer/BioNTech depois que os reguladores aprovaram seu uso na semana passada.

A vacinação não é obrigatória no país.

O ministro de Saúde, Matt Hancock, disse que agora havia "luz no fim do túnel". "Vamos olhar para trás hoje, o V-day, como um momento-chave em nossa luta contra esta doença terrível."

Aqueles que administram a vacina serão os primeiros a receber vacinas na Escócia, enquanto os profissionais de saúde serão os primeiros na fila no País de Gales e na Irlanda do Norte.

O primeiro-ministro, Boris Johnson, lembrou que as pessoas devem manter as medidas de segurança adotadas ao redor do país para evitar o espalhamento da doença, como distanciamento social e higiene rigorosa das mãos, enquanto o programa de vacinação ganha tração.

Autoridades estimam que grande parte das restrições pode ser suspensa até a Páscoa, caso tudo corra bem com a imunização massiva.

Até agora, mais de 60 mil pessoas morreram no Reino Unido em decorrência da infecção por Covid-19, segundo dados oficiais.

Estima-se que 4 milhões de doses sejam distribuídas até o fim de 2020, num ritmo mais lento do que o esperado por problemas com a fabricação dos imunizantes. Antes, a meta era 10 milhões de imunizados ainda neste ano.