Prefeitura de Fabriciano adquire câmaras frias para unidades de saúde

Foto: PMCF


A Prefeitura de Coronel Fabriciano, por meio da Secretaria de Governança da Saúde, realizou licitação pública para aquisição de 12 câmaras frias para as unidades básicas do município. Os equipamentos já foram entregues e estão armazenados no novo Centro Administrativo, no bairro Bom Jesus, aguardando o início da instalação, que deve ocorrer já nos próximos dias.

As câmaras, equipadas com gerador sobressalente para até 8 horas em caso de falta de energia, serão usadas exclusivamente para armazenamento e conservação de vacinas. O objetivo do investimento é possibilitar a guarda segura dos medicamentos, acabar com as perdas e melhorar a oferta de vacinas para a população. Sem as câmaras, os produtos injetáveis e de gotas são guardados em geladeiras e freezers, muitas vezes fora das unidades, o que exige logística de transporte sempre que necessário, além do risco de perda frequente. Com a aquisição cada unidade poderá guardar suas vacinas e atender a população com mais tranquilidade.

O investimento do município foi viabilizado por meio de emenda parlamentar do deputado federal Sub-Tenente Gonzaga (PDT). A verba no valor de R$200 mil foi usada também na compra de um aparelho de ultrasson para fisioterapia, que já será disponibilizado para uso dos pacientes. Com as câmaras frias, o investimento total foi de R$ 166.320,00.

Os investimentos são comemorados pela administração municipal, que tem a saúde como uma das prioridades absolutas. "Nós agradecemos ao deputado Sub-Tenente Gonzaga por este recurso, que é inédito e marca um novo na prestação de serviço à população no que diz respeito especialmente às vacinas. Fabriciano estava na lista de municípios atrasados neste quesito, que são obrigados a se virarem para armazenar vacinas a qualquer custo e garantir a cobertura vacinal das campanhas. Agora, ganhamos autonomia para armazenar e garantir qualidade absoluta das doses sem o receio de fornecer um produto que possa gerar desconfiança", disse Ricardo Cacau, secretário de Governança da Saúde.