Audiência pública debateu fechamento de turmas em escolas de Timóteo

Anúncio do governo do estado em fechar várias turmas de 1º ano do ensino fundamental gerou uma série de protestos

Divulgação


Assunto que tem causado bastante preocupação principalmente na comunidade escolar, o fechamento de turmas nas escolas estaduais “Getúlio Vargas”, no bairro Funcionários, e “Tenente José Luciano”, no Serenata, foi debatida na noite da quinta-feira (21/11), em audiência pública realizada na Câmara Municipal de Timóteo.

A audiência foi realizada em atendimento ao requerimento dos vereadores Professor Diogo, presidente do Legislativo, e Adriano Alvarenga. Ambos avaliaram como positivo a discussão. “Estiveram presentes atores sociais importantes neste processo, que ouviram a solicitação da comunidade e poderão trazer um retorno até o dia 28 de novembro”, destacou Adriano.

Iniciado os debates, a Superintendente Regional de Ensino, Edvânia Lana, explicou que, após concluído o cadastramento escolar, foi detectado que em algumas escolas não havia estrutura física para atender a demanda de alunos. Contudo, ela destacou que o problema tem sido debatido juntamente com a Secretaria Municipal de Educação e que o Governo do Estado tem até o dia 28 para definir se haverá ou não fechamento de turmas. Ela disse ainda que a superintendência tem intermediado o diálogo entre a Secretaria de Estado de Educação e as secretarias municipais para tentar chegar a uma solução.

Encaminhamentos

De acordo com Professor Diogo, ao final da audiência ficou definido que será levado à Secretaria de Estado de Educação uma solicitação para que seja respeitado o cadastramento escolar de 2020, de forma que sejam mantidas as turmas de 1º ano do ensino fundamental das escolas estaduais “Getúlio Vargas” e “Tenente José Luciano”. “Também queremos que o Estado estabeleça um debate com os municípios, respeitando um prazo adequado, para que seja feito o melhor na educação para nossas crianças”, concluiu.

Entenda

O fechamento de turmas do 1º ano do ensino fundamental em diversas escolas estaduais de Minas Gerais, incluindo as escolas “Getúlio Vargas” e “Tenente José Luciano”, foi anunciado pelo Governo do Estado após realizado o cadastramento escolar para o ano de 2020. A notícia provocou grande mobilização por parte da comunidade escolar, tendo em vista a falta de diálogo e a expectativa das famílias com relação às matrículas.