Projeto de saneamento do Horto está em fase licitatória

Entre outros locais, obras vão contemplar também demandas dos bairros Vila Celeste e Chácaras Madalena

Divulgação PMI


Reunido na noite de terça-feira (29) com representantes da Associação de Moradores do Horto, o prefeito de Ipatinga, Nardyello Rocha, anunciou que já está em fase de licitação o projeto de saneamento básico que resultará na substituição de toda a rede de esgoto do bairro, além da construção de uma Estação Elevatória que irá receber e bombear o esgotamento até a ETE do Amaro Lanari. O problema no núcleo habitacional e comercial é histórico, tendo se agravado nos últimos anos em função de muitos novos empreendimentos imobiliários executados no local.

Os recursos para as obras de saneamento foram captados junto à Fundação Renova, como compensação por danos provocados em cidades da bacia do Rio Doce em decorrência do acidente ambiental ocorrido em Mariana, em novembro de 2015.
Em sua totalidade, os serviços contemplarão, além do Horto, bairros como Vila Celeste e Chácaras Madalena, somando cerca de R$ 18 milhões. Somente no Horto, serão investidos R$ 7 milhões.

“Vamos resolver um problema histórico de saneamento na cidade de Ipatinga. Especificamente no bairro Horto, se fez necessário a troca de toda a rede, porque o bairro cresceu muito principalmente no que diz respeito a construções verticais. Óbvio que isso trouxe diversos problemas sanitários. Estive em Belo Horizonte na semana passada para acompanhar a autorização do BDMG e hoje (terça) chego com essa notícia de primeira mão, que o projeto foi aprovado e já podemos licitar a obra”, disse o prefeito Nardyello Rocha.
Além do projeto de saneamento, o chefe do Executivo aproveitou o encontro para apresentar aos moradores as inúmeras obras que serão realizadas na cidade dentro do programa “Nova Ipatinga”. Ele esclareceu ainda sobre o pedido feito à Câmara Municipal, por meio de projeto de lei, para alienação de uma área de 486.371,00 metros quadrados que há anos se encontra ociosa, no bairro Horto, depois de ser adquirida da Usiminas.

Com o slogan “Investir para Crescer”, os investimentos do programa “Nova Ipatinga” são de cerca de R$ 73 milhões. A captação de recursos foi feita junto à Caixa Econômica Federal, sob condições especiais, por meio do Finisa – Programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento. Nardyello apresentou o programa que contemplará, entre várias ações, a modernização administrativa, recuperação asfáltica de mais de 60 km de vias, três novas unidades básicas de saúde, a reforma do prédio da PMI e outras intervenções na infraestrutura do município.

Conforme explicou o prefeito, os recursos estão distribuídos em três cartas de crédito: a primeira no valor de R$ 48 milhões; a segunda de R$ 13 milhões e a terceira, de R$ 11,9 milhões. O total de R$ 73 milhões será pago em dez anos, a partir de 2021, “praticamente com juros de caderneta de poupança, 4,9% ao ano”, ressaltou o Executivo. Nardyello explicou ainda que a aprovação pela Caixa se deveu à comprovação do município quanto à sua capacidade de endividamento, já que Ipatinga receberá, a partir de janeiro de 2020 e até dezembro de 2022, cerca de R$ 137 milhões relativos a dívidas acumuladas do Estado.

Área do Horto

Assunto que também interessa aos moradores do bairro Horto, a alienação de uma área de 486.371,00 metros quadrados e que há anos se encontra ociosa, depois de ser adquirida da Usiminas, também foi pauta da reunião.

Diante do interesse já manifestado por vários empreendedores de peso e numa conjuntura em que a cidade continua penalizada por gigantesca retenção de recursos pelo Estado, na ordem de R$ 140 milhões, o Executivo pede autorização do Legislativo para tornar o terreno disponível à aquisição por terceiros.