Dr. Sérgio Campolina explica a situação de alguns atletas no DM do Cruzeiro

Rodriguinho, Léo, Pedro Rocha e Joel são alguns dos atletas em tratamento

Bruno Haddad/Cruzeiro


Na manhã desta quarta-feira, o Dr. Sérgio Campolina, médico do Cruzeiro, conversou com os jornalistas na Toca da Raposa 2 antes das atividades do elenco celeste. Campolina falou sobre a situação dos atletas que estão no Departamento Médico da Raposa.

Além de Dedé, que passará por um procedimento no joelho direto para aliviar as dores no local, Campolina explicou os quadros do zagueiro Léo, do meia Rodriguinho e dos atacantes Pedro Rocha e Joel.

“O Léo teve uma fratura na clavícula no jogo contra o Palmeiras. Fez exame esta semana e está consolidada a fratura. Então, é por isso que vocês estão vendo ele mais próximo ao grupo. Já foi liberado (do departamento médico), agora é questão de confiança mesmo. Já vai fazer um trabalho hoje (quarta-feira) de contato, que não vinha sendo feito. Então, ele já está à disposição do Abel”, observou.

“O Rodriguinho foi submetido àquela nova intervenção cirúrgica no nível da coluna pelo mesmo médico que fez o primeiro procedimento. Foi uma nova lesão, o procedimento ocorreu muito bem, ele está sem medicamento, está em casa e começando a fisioterapia. O processo está com evolução muito interessante”, disse.

“Pedro Rocha teve um trauma no nível do tornozelo. Foi feito exames e não houve nenhuma alteração significativa, nenhuma lesão importante. Ele chegou a voltar e foi integrado ao grupo, mas apresentou dor novamente. Esta semana foi mais conservadora, e ele respondeu muito bem. A programação é que ele fique à disposição do Abel. Hoje, vai fazer um trabalho à parte, mas já vai começar a ficar à disposição do Abel”, destacou.

“A questão do Joel vocês devem ter acompanhado na época da Copa da África. A Seleção de Camarões tem um protocolo um pouco diferente de todos os times e seleções mundiais. Por questões de segurança da confederação, os atletas têm que fazer um exame a mais do que é feito na rotina. E, neste exame, foi observada uma alteração nas artérias do coração do Joel. Um posicionamento anômalo da artéria. Como a seleção teve um caso recente de óbito, ele foi cortado”, explicou.

“O Joel, ao ser reintegrado ao grupo, nós tivemos o cuidado de fazer avaliações nos dois maiores centros de cardiologia esportiva do Brasil: hospital Albert Einstein e Instituto Denis Pavanelli, com o doutor Nabil. Com o laudo deles, que são pessoas referências na área, nós reintegramos Joel ao grupo. Para a gente, foi uma vitória maior do que uma cirurgia, por causa da situação que foi colocada para o Joel de aposentadoria. Nós ficamos muito felizes de dar essa notícia a ele e trazê-lo de volta ao grupo. Então, o fato de ele estar sendo relacionado e entrar durante o último jogo foi uma grande vitória para o Joel e para todos nós envolvidos neste processo”, finalizou.