Sábado é dia de vacinar as crianças contra o sarampo

Os pais ou responsáveis devem levar o cartão de vacina da criança

Divulgação PMT


A Prefeitura de Timóteo vai imunizar crianças de seis meses a menores de cinco anos neste sábado (19/10) contra o sarampo, de 8 às 17 horas, em doze locais diferentes do município.
Nesta primeira etapa, a campanha que vai até o dia 25 de outubro é direcionada somente às crianças. De acordo com a referência técnica do Serviço de Epidemiologia, enfermeira Janeiva Pires, “esta é uma campanha seletiva; só irão vacinar as crianças que ainda não tomaram nenhuma dose ou ainda não completaram o cartão de vacinas”.

“Na rotina, a triviral é tomada aos 12 meses e depois com um ano e três meses. Por causa do surto de sarampo em outros estados, o Ministério da Saúde introduziu a dose zero para a faixa etária de 6 a 11 meses”, explica a enfermeira. Conforme Janeiva Pires, não se trata de uma campanha indiscriminada, quando são vacinadas todas as crianças que estão dentro da faixa etária indicada, independentemente de ter tomado a vacina anteriormente ou não. Ela lembra ainda que é importante levar o cartão de vacina da criança.

Os locais onde serão disponibilizadas doses da vacina contra o sarampo são: Unidades de Saúde do Alegre, Novo Tempo, Ana Moura, Cachoeira do Vale, João XXIII, Limoeiro, Macuco, Primavera, Sede, Timotinho, Centro de Saúde João Otávio (UPA), Centro de Atenção Psicosocial (novo CAPS no Bromélias).

ADULTOS E JOVENS
Na segunda etapa, a campanha será direcionada a adultos na faixa de 20 a 29 anos, no período de 18 a 30 de novembro.

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral e o contágio ocorre por meio de secreções respiratórias, transmitida pela fala, tosse e espirro do indivíduo infectado. O período de incubação é de geralmente 10 dias, variando de 7 a 21 dias, a partir da data da exposição até o aparecimento da febre, e cerca de 14 dias até o início do exantema. Sinais e sintomas característicos são: febre alta acima de 38,5ºC, tosse seca (inicialmente), coriza, conjuntivite não purulenta, exantema máculo-papular morbiliforme de direção cefalocaudal e manchas de Koplik (pequenos pontos brancos amarelados na mucosa bucal, na altura do terceiro molar, antecedendo o exantema).

A vacinação é a maneira mais eficiente de prevenir essa doença. Todo caso que apresente quadro clínico suspeito, com exantema e febre, associado a sintomas respiratórios (coriza e/ou tosse e/ou conjuntivite), deve ser notificado no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), conforme a Portaria de Consolidação Nº 4, de 28 de setembro de 2017.