Unileste realiza 5º Seminário de Educação Inclusiva

O Núcleo de Educação Inclusiva planeja, implementa e executa ações e políticas de garantia e defesa dos direitos da pessoa com deficiência.

Divulgação


O Centro Universitário Católica do Leste de Minas (Unileste) realiza, na próxima segunda-feira (30) às 19h, a 5ª edição do Seminário de Educação Inclusiva, no Teatro João Paulo II em Coronel Fabriciano. Com o tema "Autismo: a importância do diagnóstico precoce e da intervenção nos contextos familiar e escolar", o evento tem como objetivo proporcionar um espaço de discussão à comunidade sobre o diagnóstico e intervenção em casos de Transtorno do Espectro Autista. O evento é organizado pelo Núcleo de Apoio ao Desenvolvimento Educacional (NUADE) e pelo Núcleo de Educação Inclusiva (NEI) do Unileste.

A coordenadora do NEI, Denise Matias, afirma que a proposta do Seminário é promover uma discussão sobre a detecção do autismo precocemente e a forma com que isso impacta diretamente na vida da criança, do adolescente e do adulto. "A intenção é proporcionar um momento de debate com profissionais de áreas distintas que irão comentar sobre o trabalho desenvolvido com o autismo, pensando na dimensão familiar, acadêmica e social", completa.

A palestra de abertura será ministrada pela neuropsicóloga Eliziana de Paula Souza Lucas, que irá abordar o "O diagnóstico, a importância da intervenção precoce e seus efeitos sobre a Neuroplasticidade". Em seguida, acontece o encontro "O autismo e o contexto familiar", mediado por Marlene Schettino. Dando continuidade ao Seminário, a docente do curso de Medicina Veterinária do Unileste, Maria Cláudia Miranda, irá ministrar a palestra "Os desafios na formação e atuação do professor".

Núcleo de Educação Inclusiva

O Núcleo de Educação Inclusiva planeja, implementa e executa ações e políticas de garantia e defesa dos direitos da pessoa com deficiência. O Núcleo identifica as necessidades individuais dos colaboradores e alunos, viabilizando acesso, entrada e permanência na graduação e mercado de trabalho, garantindo condições de acessibilidade, atendimento prioritário e diferenciado para a utilização e autonomia total ou assistida dos espaços, respeitando as peculiaridades e limitações de cada deficiência.