PBH e Iate Tênis deverão apresentar projeto de readequação do clube

Integrante do Conjunto Urbanístico e Arquitetônico da Pampulha, projeto original de Niemeyer teria sido significativamente alterado após privatização

[imageme39409]A Justiça de Minas Gerais determinou que a Prefeitura de Belo Horizonte apresente à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) as alterações no projeto original do Iate Tênis Clube até 1º de dezembro deste ano. A decisão impõe que o município envie relatório e documentação sobre as ações e os projetos apresentados no Plano de Intervenção para o local 30 dias antes do prazo final estabelecido pelo Comitê do Patrimônio Mundial. O juiz Wauner Batista Ferreira Machado, da 3ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública Municipal da capital mineira, determinou ainda que a prefeitura e o Iate Tênis Clube elaborem, apresentem e aprovem nos órgãos competentes, com assessoria de profissional especializado, projeto técnico para demolição das edificações anexas ao clube, no prazo máximo de 30 dias. A ação foi proposta pelo Ministério Público (MP) a partir de denúncia da Diretoria de Patrimônio Cultural (DPC) de Belo Horizonte, que relatou descaracterizações do prédio, que teriam alterado o seu aspecto original. O clube integra o Conjunto Urbanístico e Arquitetônico da Pampulha, tombado em âmbito federal, estadual e municipal. Alteração significativa Conforme laudo técnico elaborado pelo MP, o projeto original de Oscar Niemeyer foi significativamente alterado após a privatização do clube. De acordo com o juiz, é preciso preservar e recompor o clube, que ?é merecedor da devida atenção quanto à sua conservação e restauração, tendo em vista o valor histórico e cultural que o imóvel em questão representa para a população belo-horizontina?, disse. A PBH infomou que foi notificada na tarde desta terça-feira (24), por meio da Procuradoria Geral do Município, e está analisando a decisão.