Ex-empregado será indenizado após ser sorteado por empresa para ser punido

Funcionário foi designado para trabalhar em Curitiba após estar dentro de um ônibus onde houve uma briga generalizada

Alex de Jesus


De acordo com o TRT-3, os fatos descritos pelo ex-funcionário não foram contestados pela empresa
A empresa PSN Montagens foi condenada pelo Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-3) a pagar uma indenização de R$ 10 mil a um ex-funcionário por danos morais. Ele foi sorteado para receber uma punição e ser transferido de Estado.

Segundo o despacho, feito pela juíza Samantha Borges, da Vara do Trabalho de Araxá, no Triângulo Mineiro, houve uma briga generalizada entre os trabalhadores da empresa dentro de um ônibus, no começo de 2017. Como não foi possível identificar os envolvidos, a empregadora resolveu sortear alguns funcionários para serem punidos, entre eles G. P. A.

Como punição, ele foi designado para trabalhar em outra unidade da empresa, que fica em Curitiba, no Paraná.

O funcionário contou que acompanhava um colega de traballho quando este iniciou uma briga com um segurança da empresa. Neste momento, outros funcionários começaram a gritar e brincar com a situação.

De acordo com o TRT-3, os fatos descritos por G. P. A., que não é mais empregado da PSN, não foram contestados por ela, o que, segundo a juíza, atesta a veracidade dos fatos.

Segundo a juíza, a situação ocorrida é "grave e atenta contra a dignidade do trabalhador, que sofreu ofensa a direito de personalidade, o que gera direito à reparação por dano moral pretendida".

Procurada por O TEMPO, a PSN Montagens e Manutenção Industrial Ltda não se manifestou sobre o assunto, mas, segundo o TRT-3, a mesma não entrou com recurso da condenação.