Toca II enfrenta mais um dia de protesto da torcida do Cruzeiro

Com faixas, garrafas de cachaça em alusão a atletas baladeiros e cânticos contra a diretoria, cruzeirenses pressionam

João Lêus / O Tempo

A torcida do Cruzeiro não dá tréguas ao elenco celeste em mais um protesto em frente à Toca da Raposa II. Alguns jogadores estão na mira da maior organizada da Raposa que, inclusive, levou 12 garrafas de cachaça para ilustrar a fama de atletas baladeiros que os torcedores passaram a destacar por conta da má campanha na temporada. Uma faixa com os nomes de Thiago Neves, Ariel Cabral, Robinho, Jadson, Henrique, Edilson, Egídio e Pedro Rocha e o pedido para que eles deixassem o clube chamou atenção em mais um protesto em frente ao centro de treinamento celeste. Cânticos contra a diretoria, destinados ao presidente Wagner Pires de Sá e ao vice-presidente de futebol Itair Machado, deram o tom antes do treinamento dos jogadores, no período da tarde. Mas nem tudo foi negativo. Os cruzeirenses que compareceram ao protesto fizeram questão de demonstrar aprovação ao técnico Rogério Ceni, com faixas e gritos de apoio. Na visão de muitos, o treinador deveria ter carta-branca para afastar os medalhões do elenco em prol da conquista de resultados melhores. Os torcedores rapidamente se juntaram em uma rua próximo ao campo de treinamento para prostestar durante toda a atividade. O objetivo era que os atletas não tivessem 'sossego', conforme adiantaram alguns torcedores. Uma das revoltas da torcida Máfia Azul é o impedimento de a TV Máfia Azul acessar as dependências da Toca da Raposa. O interlocutor da torcida, Bolão, revelou que o real objetivo do protesto é "tirar o Cruzeiro dessa situação incômoda". "A gente não vai deixar nunca a instituição ter essa mancha de Série B. A Máfia Azul está aqui não é para causar desordem. A gente quer é transparência da diretoria, a gente quer explicação da diretoria e uma posição firme dessa diretoria", disse. Um dos nomes mais xingados, além da diretoria, foi o de Thiago Neves. Bolão explicou o motivo da indignação com o jogador: "Thiago Neves é um grande jogador, mas está passando por uma fase muito ruim. As atitudes dele fora de campo, a entrevista que ele deu, transferindo a responsabilidade. Isso é muito ruim para o grupo e para o clube. Ele não deveria ter feito isso".