Onda de calor atinge BH e temperatura pode chegar a 36°C

Nas cidades no Norte de Minas Gerais são esperadas temperaturas máximas entre 40°C e 42°C; veja como amenizar os efeitos do calor sobre o corpo

Flávio Tavares / O Tempo


Em situação de rua, homem utiliza uma das fontes da Praça da Savassi para se refrescar na capital mineira
Esquentou, e isso é fato. Uma massa de ar quente e seco cerca Minas Gerais, e os próximos dias podem ser os mais quentes do ano em Belo Horizonte. A onda de calor que atinge o município, a região metropolitana e pontos do Triângulo Mineiro, Noroeste e Norte do Estado só deve ser amenizada no fim de semana. 

Até sexta-feira (13), a expectativa é que as temperaturas máximas fiquem entre 34°C e 36°C, na capital mineira. Nessa quarta-feira (11), já são esperados 40°C nas cidades do Triângulo. Assim, ao Norte do Estado, pode registrar até 42°C ainda nessa semana. 

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), este é um fenômeno normal para o inverno.

"A estação começa com tempo seco e frio e termina mais quente e mais seco ainda, porque passamos por um longo período sem chuvas e é também por isso que a umidade cai tanto", explica Cléber Souza, meteorologista do órgão.

Daqui duas semanas, o inverno se despede e a primavera dá as caras. Esta é uma estação corriqueiramente bastante quente. 

O que é onda de calor?

As temperaturas altas são reflexo de uma massa de ar que atravessa o continente, por isso também há registros de recordes de calor em outros estados, como São Paulo. Sempre que a atmosfera permanece muito quente por mais de um dia, o fenômeno já é considerado uma onda de calor.

Desde segunda-feira (9), as temperaturas estão subindo e a previsão de que elas continuem aumentando fez com que o Inmet publicasse um alerta. 

Dificuldade para respirar

A baixa umidade relativa do ar preocupa o instituto. "Com a onda de calor, não tem formação de nuvens no céu e a forte radiação solar incidente sobre a cidade, seca a atmosfera, e por isso cai a umidade", pontua Cleber.

Nessa terça-feira (10), o índice de umidade chegou a 17% e, nesta quarta-feira (11), pode bater a casa dos 15%, quase emergencial. Assim, o clima fica tão seco que é semelhante ao encontrado em áreas de deserto, onde a umidade varia entre 10% e 15%. 

A situação exige atenção e, não à toa, a Defesa Civil de Belo Horizonte emitiu um alerta de baixa umidade relativa do ar, logo no início da semana.

Para amenizar os efeitos da secura sobre o corpo, o órgão recomenda que as pessoas se hidratem bastante durante esse período, prefiram alimentos leves, coloquem uma toalha molhada no quarto antes de dormir e até optem por não praticar atividades físicas sob o sol. 


  Fim de semana será mais fresco Apesar da semana quente, o fim de semana promete ser mais fresco. Segundo o Instituto, a nebulosidade aumenta no fim de semana e, com isso, os índices de umidade relativa do ar sobem.  Uma frente fria avançará pelo litoral Sudeste e provocará a queda das temperaturas máximas em Minas Gerais. "Será um refresco com a chegada da frente fria e, com a nebulosidade, tende a melhorar um pouco a qualidade do ar", comenta o meteorologista.