Resposta de Marcelo Aro à coluna Minas na Esplanada

Em resposta à matéria do dia 25 de julho de 2019

No dia 25 de julho de 2019, o jornal O Tempo publicou matéria na qual, tomando o depoimento de um suposto "dirigente anônimo" do Progressistas, sugeriu que membros do meu partido estariam receosos de que o PP fosse, de alguma forma, prejudicado sob a minha gestão, noticiando que eu teria ?quebrado o PHS?.

Antes de tratar desse mérito, gostaria de registrar que o jornal, em momento algum, buscou contato comigo ou com minha assessoria para ouvir qualquer posicionamento diferente sobre o assunto. Como jornalista e bacharel em direito por formação, esse tipo de negligência ilustra um defeito terrível no trabalho informativo. Não buscar o contraditório, além de fragilizar nossa democracia, não é jornalismo de verdade.

Aos fatos: exerci a presidência do Partido Humanista da Solidariedade (PHS) mineiro de 2013 até meados de 2018. Nos três primeiros anos à frente da legenda, aumentamos em 85% o número de vereadores e em 183% o número de prefeituras pelo partido em Minas. Das 37 prefeituras conquistadas em todo o país, 46% delas foram no meu Estado ? com especial destaque à nossa vitória pela Prefeitura de Belo Horizonte. Dois anos depois, nas eleições de 2018, elegemos o maior número de deputados estaduais e federais da história da legenda, praticamente dobramos o número de votos para a Câmara dos Deputados e fizemos uma cadeira no Senado.

O partido que mais cresceu em Minas Gerais durante esses cinco anos foi, indiscutivelmente, o PHS.

Ocupei também, por oito meses, a direção nacional do partido. Entrei com a iminência de uma ordem de despejo e com inúmeros salários de funcionários em atraso. Contratamos uma auditoria e colocamos as contas em ordem. Pagamos os empregados, deixamos dinheiro em caixa, organizamos toda a campanha de 2018 e, por fim, elegemos 26 mandatários em todo o país.

Isso tudo são fatos e não opiniões. Dados púbicos de acesso livre. Por isso, o boato de que eu teria ?quebrado o PHS?, e que isso preocuparia meus colegas do PP, me causou profundo estranhamento. Simplesmente porque os números, sozinhos, mostram o contrário. Foi sob minha gestão que o PHS teve seu maior crescimento. É um histórico que assusta, sim, porém mais pela grandeza do que pelas derrotas.

Marcelo Guilherme Aro Ferreira - Deputado federal/PP

Em resposta à matéria do dia 25 de julho de 2019.