Cabeleireiro é preso acusado de matar ex-mulher na frente dos filhos

Antes de morrer, a vítima já havia registrado três boletins de ocorrência por violência doméstica, ameaça e injúria

Street View


O cabeleireiro queria reatar o relacionamento com a ex-mulher, que recusou. Em seguida, o acusado atirou contra a vítima
Um cabeleireiro de 28 anos foi preso acusado de matar a ex-mulher, uma promotora de eventos de 31 anos, na frente dos dois filhos da vítima, na madrugada desta terça-feira (10) no Jardim Ângela (zona sul da capital paulista). A vítima já havia registrado três boletins de ocorrência contra o suspeito.

Segundo a polícia, o cabeleireiro foi à casa da vítima com o intuito de reatar o relacionamento com ela. Porém, Taynara Cristina dos Santos teria se negado a voltar com o acusado. Por isso, segundo os filhos da vítima disseram à polícia, o cabeleireiro agrediu a promotora e, em seguida, atirou ao menos uma vez contra ela. Taynara chegou a ser encaminhada ao hospital do M'Boi Mirim, onde morreu.

Enquanto a vítima era socorrida, o acusado fugiu. Vizinhos da promotora de eventos informaram as características físicas do suspeito à Polícia Militar. Durante ronda, policiais se depararam com o cabeleireiro, que estava dentro de casa, com a porta aberta. O imóvel fica a cerca de 250 metros do endereço onde houve o feminicídio (quando a vítima é morta pelo fato de ser mulher).

"O indiciado estava nervoso e admitiu que tinha efetuado um disparo de arma de fogo contra a vítima, sua companheira. A arma do crime, no caso um revólver calibre 38, teria sido jogada em um rio", diz trecho do registro policial.

O cabeleireiro foi preso em flagrante. A arma usada por ele não havia sido encontrada até a publicação desta reportagem.

Segundo informações obtidas pela reportagem, a promotora de eventos havia registrado três boletins de ocorrência contra o cabeleireiro, entre outubro de 2015 e 16 de julho deste ano, por violência doméstica, ameaça e injúria.

Tayana deixa um menino de 11 anos e uma garota de 13.