Mulher de 19 anos é morta a facadas pelo marido após discussão por ciúmes

Suspeito chegou a tentar matá-la uma vez atirando em direção à vítima, mas tiro não a acertou

Clarisse Souza


Sangue da vítima ficou espalhado pela casa
A família da dona de casa Letícia Silva Mendes dos Santos Almeida, 19, morta com 25 facadas na madrugada deste domingo (25), no bairro Colorado, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, clama por justiça. A principal suspeita é de que a jovem tenha sido morta pelo marido durante uma briga provocada por uma crise de ciúmes. Ela foi assassinada na sala de casa, onde um colchão completamente ensanguentado dava mostras da violência do crime. Casada com o suposto assassino há cinco anos, ela deixou dois filhos, de 1 e 3 anos.

Foi a avó do suspeito quem acionou a Polícia Militar. Conforme o boletim de ocorrência, o rapaz de 27 anos chegou na casa dela às 3h30 e estava descontrolado. Enquanto tremia e chorava, ele contou para a avó que havia matado a própria mulher depois de pegar o celular da vítima e ver mensagens que sugeriam uma traição.

Depois de confessar o crime, ele obrigou a senhora a lhe dar dinheiro para pagar por uma corrida de aplicativo de transporte e fugiu. Desesperada, ela ligou para a PM e levou os militares até o imóvel. Letícia, no entanto, já estava morta. 

Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, a perícia realizada pela Polícia Civil constatou que Letícia foi esfaqueada 25 vezes. As facadas atingiram o peito, as costas, os braços e uma orelha. Ela foi encontrada de bruços sobre um colchão de casal. 

A tia da vítima, Joelma Mendes, 47, contou que Letícia e o marido viviam um relacionamento conturbado. Segundo ela, essa não foi a primeira vez que ele tentou matá-la. "O relacionamento sempre foi de brigas. O marido sempre foi muito ciumento e uma vez ele deu um tiro nela, mas não pegou", relata.

Apesar dos conflitos constantes, Joelma disse que a sobrinha não tinha o hábito de comentar sobre as discussões que tinha com o marido. ?Ela sempre frequentou a minha casa, sempre sorridente. Ela nunca comentou nada, porque senão a gente tinha tomado uma providência?, afirmou.

No momento do crime, os filhos do casal não estavam em casa. "Está todo mundo abalado. É uma tragédia e ninguém estava esperando por isso. Meu irmão (pai da vítima) nem está conseguindo falar", lamentou Joelma, que teme que o suspeito não seja preso. ?O que nós esperamos é que peguem ele porque ninguém pode tirar a vida de ninguém. Foi uma brutalidade o que ele fez?, desabafou. 

A Polícia Civil informou que fez a perícia no local do crime e que o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal. Segundo a corporação, o caso será investigado pela Delegacia de Homicídios de Contagem.