Oito obras da artista Berna Reale são furtadas em Belo Horizonte

Grupo de pelo menos três pessoas vestidas com roupas usadas por profissionais da construção civil levaram as peças na madrugada desta quarta-feira (21)

Instagram/Reprodução


O furto das obras de Berna Reale aconteceu na madrugada desta quarta-feira (21)
A artista paraense Berna Reale publicou nesta sexta-feira (23), em seu perfil no Instagram, um vídeo em que denuncia o furto de oito fotografias (sendo seis de 3m por 2m e duas de 3m por 4m) que estavam expostas no Viaduto das Artes, localizado na região do Barreiro, em Belo Horizonte. Ela apresentava na capital mineira a sua primeria mostra individual que agora está interrompida. No post, Berna ressalta que o crime, realizado na madrugada dessa quarta-feira (21), e parece ter envolvido mais de três pessoas, "foi muito bem orquestrado". O grupo, que retirou as peças instaladas nas grades para impedir a passagem de pedestres na avenida Olinto Meireles, estava vestido com roupas usadas por profissionais da construção civil. O que levou a artista e os realizadores da exposição suporem a possibillidade de isso ter sido uma intervenção da prefeitura de Belo Horizonte, hipótese já descartada.    O boletim de ocorrência foi registrado nesta quinta-feira (22) e Berna aguarda as investigações. Por meio da rede social, a artista fez um apelo a todos que possam identificar alguns dos envolvidos no furto. "Estou aqui para denunciar mas também para dizer que disponibilizo, no link que está na minha bio, a todos que quiserem de Belo Horizonte, pois terão a minha imagem para baixar em alta resolução. E gostaria de fazer um pedido: quem encontrasse esse rapaz que está no video e que se emocionou com o meu trabalho, porque gostaria de dar a ele uma fotografia minha. Não só a ele, mas à pessoa também que o encontrasse", declarou Berna por meio do vídeo. A O TEMPO, Berna mostrou indignação com o crime, que interrompe a sua exposição na capital mineira. "É muito ruim ver isso. Foi coisa de alguém que tem poder. Mas eu prefiro não comentar sobre quem eu desconfio", contou. "Quando se expõe trabalho na rua, você está sujeito à reação das pessoas. Antes, niguém havia danificado ou pichado as imagens. Foi uma coisa planejada", completou. Assista: