Mesmo com suspeita de gravidez, mulher é espancada e mata companheiro em BH

Para se defender do agressor, a jovem o atingiu com uma facada na coxa e ainda tentou ajudá-lo a estancar o sangue, mas ele recusou atendimento médico

Reprodução/Google StreetView


A mulher espancada foi atendida na UPA do Barreiro
Aos 25 anos, uma mulher já havia registrado dois boletins de ocorrência por agressões sofridas por seu ex-companheiro e, em fevereiro, conseguiu uma medida protetiva contra ele. Ainda assim, os dois saíram para beber juntos na noite de domingo (11) e, após uma discussão, o homem de 32 anos a espancou. Para se defender, a vítima teria desferido uma facada na coxa direita dele e, na manhã de segunda-feira (12), o homem morreu. 

A noitada começou bem, quando os dois saíram do apartamento em que ela vive, no bairro Marieta I, região do Barreiro, e foram em direção a uma casa noturna. Lá, a mulher contou que beberam juntos e usaram drogas. Após o encontro, o casal voltou à casa dela, onde uma grave discussão teria iniciado. Segundo contou ela à Polícia Militar, seu companheiro a puxou pelo cabelo e a atingiu com golpes de muleta, mesmo ciente de sua possível gravidez. 

Para se defender, ela teria corrido em direção à cozinha e se munido com uma faca, usada para atingir a coxa direita do homem. Depois do golpe, ela o ajudou a estancar o sangue e pediu que fossem até o hospital, mas ele recusou receber atendimento médico. Preocupada, ela ainda ligou para a Polícia Militar, no entanto, segundo os agentes, ela teria passado o endereço errado e, por isso, a viatura não chegou ao local do crime. 

A mulher ainda contou aos militares que seu companheiro levantou durante toda a madrugada para ir ao banheiro e reclamou de muitas dores no corpo. Pela manhã, já na segunda-feira (12), ele se levantou e teria dito a ela que sentia fraqueza. Logo em seguida, o homem caiu morto. A mulher ainda chegou a pedir ajuda para um vizinho farmacêutico e ele orientou apenas que ela acionasse a polícia. 

Depois de constatada a morte, a jovem precisou receber atendimento médico na UPA do Barreiro para tratar das lesões provocadas pelo espancamento promovido por seu companheiro. Ela contou aos médicos que suspeita estar grávida e que não era a primeira vez que ele a agredia. 

Contra o homem, pesam duas ocorrências de agressão cometidas contra a companheira, além de inquéritos policiais por uso de drogas, dirigir embriagado, dano ao patrimônio, injúria e desacato.