Casos de sarampo triplicaram no mundo desde janeiro, alerta OMS

Entre 1º de janeiro e 31 de julho de 2019, foram registrados 364.808 casos, contra os 129.239 do ano passado

Agência Brasil/arquivo


"Não há tratamento, embora possa ser prevenida com duas doses de uma vacina segura e eficaz", de acordo com a OMS
Os casos de sarampo em todo mundo quase triplicaram desde janeiro, na comparação com o mesmo período do ano passado - informou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta terça-feira (13).

Os números divulgados pela OMS mostraram que, entre 1º de janeiro e 31 de julho de 2019, foram registrados 364.808 casos, contra os 129.239 do ano passado, no mesmo intervalo.

Esses são os números mais altos registrados desde 2006, afirmou o porta-voz da OMS, Christian Lindmeier, em reunião com uma imprensa em Genebra.

O maior número de casos foi registrado na República Democrática do Congo (RDC), em Madagascar e na Ucrânia.

No caso de Magadascar, "no entanto, o número de casos diminuiu significativamente nos últimos meses", como resultado de campanhas nacionais de vacinação de emergência contra o sarampo, relatou a OMS. 

Outros grandes surtos desta doença se desenvolveram em Angola, Camarões, Chade, Cazaquistão, Nigéria, Filipinas, Sudão do Sul, Sudão e Tailândia.

Já os Estados Unidos registraram seu maior número de casos de sarampo em 25 anos.

O sarampo é uma das doenças mais contagiosas do mundo. As mortes ocorrem, mais frequentemente, devido a complicações.

"Não há tratamento, embora possa ser prevenida com duas doses de uma vacina segura e eficaz", de acordo com a OMS.