Por infidelidade em votação, deputado mineiro é expulso da CCJ da Câmara

Subtentente Gonzaga descobriu que havia saído do colegiado ao chegar no Legislativo nesta terça-feira. Ele votou a favor da reforma da Previdência

DENILTON DIAS / O TEMPO


RADIO SUPER FM :CAFE COM POLITICA : ENTREVISTA COM O DEPUTADO FEDERAL PELO PDT-MG SUBTENENTE GONZAGA . FOTO: DENILTON DIAS / O TEMPO / 11.08.2017
O PDT já começou a retirar cargos importantes de deputados federais que não seguiram a orientação do partido e votaram a favor do projeto de reforma da Previdência. O parlamentar mineiro Subtenente Gonzaga descobriu ao chegar no Legislativo, na manhã desta terça-feira (13), que não faz mais parte da Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados. 

A CCJ é vista como a comissão mais prestigiada do Legislativo, uma vez que todos os projetos que tramitam na Casa passam por ela. Por isso, a expulsão dele do colegiado é um indicativo de qual deve ser o destino dele na agremiação. Na comissão, o político era responsável pela relatoria de oito projetos. Agora, restam somente seis, de outros três colegiados, nas mãos dele

Para Subtenente Gonzaga, a punição fere os princípios constitucionais de ampla defesa e do contraditório. ?Eu estou aguardando outras medidas. Fizemos nossa defesa no colegiado de Ética do PDT, e acho que o PDT está errado de punir preventivamente. Estamos num regime democrático em que o devido processo legal é um pressuposto da Constituição do direito do cidadão. Mas vamos tocando. Vamos ver o que o partido vai fazer daqui pra frente?, disse.  

A legenda tem até 90 dias para decidir o destino do parlamentar, mas ele acredita que o veredito não deve demorar a sair. O deputado recebeu o convite de outras seis siglas ? ele não quis revelar quais são.

Esses convites, o mineiro não analisa isso sozinho. Ele e outros 17 colegas, do PDT e do PSB, que não seguiram a orientação partidária durante a votação da reforma, possuem um grupo no WhatsApp e se reúnem para discutir os rumos de suas vidas políticas.