Briga entre torcidas rivais termina com 12 cruzeirenses presos

Polícia precisou usar balas de borracha para acabar com o tumulto

Clarisse Souza/ O Tempo


Uma pedra que seria usada para agredir a torcida rival foi apreendida com os suspeitos
Horas antes do clássico entre Cruzeiro e Atlético, neste domingo, cerca de 50 pessoas se envolveram em uma briga entre torcidas rivais no bairro Água Branca, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Doze pessoas foram detidas depois de a Polícia Militar usar armas com balas de borracha para pôr fim ao tumulto. Uma pedra que seria usada pelo bando foi apreendida.

A confusão começou próximo à estação de metrô Eldorado. Segundo o boletim de ocorrência, a polícia foi acionada por testemunha que presenciou a pancadaria entre membros de torcidas organizadas cruzeirenses e atleticanas. De acordo com a PM, os agressores trocaram chutes e socos e usaram pedras e paus para acertar os rivais. 

Com a chegada da PM, que usou balas de borracha para dispersar o grupo, houve correria e a maioria dos suspeitos conseguiu fugir. Durante as buscas, os militares conseguiram localizar 12 cruzeirenses que tentaram escapar pela Via Expressa. Ao consultar a ficha criminal dos envolvidos, os policiais constataram que um deles tinha um mandado de prisão em aberto, mas a corporação não divulgou por qual crime ele era procurado. 

Um cigarro de maconha e uma pedra que, segundo a polícia, seria usada para agredir membros da torcida rival, foram apreendidos. Todos os suspeitos foram encaminhados para a Delegacia de Plantão de Contagem. Questionado pela reportagem de O TEMPO, o grupo negou que tenha participado da briga e que estava a caminho do jogo quando foi abordado pela polícia. 

Segundo a Polícia Civil, os suspeitos seriam ouvidos durante a noite de domingo.