Governo estuda mudar escala e pagar mais rápido 13º de 2018

Embora uma avaliação ainda seja feita, quitação integral após reunião em agosto não está descartada


O secretário também defendeu a revogação da lei Kandir, devolvendo a Minas Gerais a competência tributária de cobrança do ICMS. Foto: Clarissa Barçante/ALMG/Divulgação
O governo de Minas Gerais poderá alterar a escala de pagamento do 13º salário de 2018 dos servidores a partir do mês que vem. O secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Otto Levy, prometeu se reunir com o funcionalismo em agosto, com a possibilidade de apresentar novas datas de pagamento do benefício. Na previsão inicial, alguns servidores só receberão o valor completo em dezembro. Existe a possibilidade até da quitação integral do benefício, antecipando a escala.

Levy se reuniu, ontem, com representantes do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais (Sindpúblicos-MG) para receber as demandas do funcionalismo. Ele afirmou que, a partir do mês que vem, a Seplag vai assumir a responsabilidade sobre o pagamento da folha salarial do Estado. Atualmente, essa função é da Secretaria de Estado de Fazenda. Levy prometeu que, depois de fazer um diagnóstico da situação, vai receber novamente os servidores para discutir a viabilidade de uma antecipação das parcelas do 13º salário de 2018.

Nós nos encontramos com o secretário pra cobrar dele um tratamento igualitário dos servidores públicos. Os funcionários da segurança e da Fazenda já receberam o pagamento total do 13º salário, enquanto os demais, que têm remunerações menores, ainda estão com o benefício parcelado?, explicou o diretor político do Sindpúblicos, Geraldo Henrique.

O governo do Estado quitou o 13º salário dos servidores da Segurança em maio e da Fazenda em junho. Para os demais, os pagamentos se estendem até dezembro, em parcelas de até R$ 500.

Segundo Geraldo Henrique, o secretário Otto Levy afirmou que a ideia é apresentar uma nova proposta de escala em agosto. Porém, não garantiu a possibilidade de fazer o pagamento integral do valor restante. Outras demandas apresentadas na reunião foram com relação ao parcelamento dos salários. Os servidores pediram que a primeira parcela seja paga no mesmo valor para todos os servidores. Na regra atual, os trabalhadores da saúde e da segurança recebem até R$ 3.000 no primeiro pagamento, enquanto para os demais esse teto é de R$ 2.000. 

Ipsemg

O secretário Otto Levy afirmou aos servidores que o pagamento do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg) aos hospitais credenciados deve ser normalizado também em agosto. O diretor político do Sindpúblicos destacou que Levy afirmou estar fazendo um grande esforço para conseguir regularizar o pagamento da rede credenciada. Ele disse que espera ser possível garantir o retorno do atendimento dos servidores.

Com o atraso no pagamento por parte do governo, algumas das unidades que prestam assistência médica aos funcionários do Estado deixaram de fazer novos atendimentos. 

Uma das maiores preocupações dos servidores é com o Hospital Luxemburgo. O atendimento está suspendo há mais de um ano. ?O retorno desse hospital é muito importante, pois presta um serviço de oncologia de qualidade, sendo que obtivemos como resposta que o nosso pleito será viabilizado pela Seplag em conjunto com o Ipsemg o mais rápido possível?, afirmou o diretor do Sindpúblicos.