Escola estadual do São Caetano registra oito casos de caxumba

Depois da última notificação, cerca de 200 estudantes foram imunizados pela prefeitura na instituição

ronaldo silveira/arquivo


Saúde abriu postos móveis para aplicar doses da tríplice viral
Betim registrou mais um caso de surto de caxumba em instituição de ensino neste ano. Oito alunos da Escola Estadual Bairro São Caetano foram confirmados com essa doença altamente infecciosa. Em março, houve outra notificação de surto, com seis alunos infectados, no Colégio Santa Maria, no Angola. Um terceiro surto também foi contabilizado neste ano, com cinco casos, mas a reportagem só conseguiu apurar o registro ocorreu no bairro Pingo D?água. Os dados são da Secretaria de Saúde de Betim.

Depois da última notificação, no bairro São Caetano, cerca de 200 estudantes foram imunizados pela prefeitura. ?Assim que fomos notificados pela escola, fizemos um bloqueio seletivo, em que fomos até a instituição e vacinamos todas as pessoas que tiveram contato com a doença e que não tinham comprovação na carteira de vacina que já tinham sido imunizados?, explicou Sônia Parreiras, referência técnica na Saúde.

Segundo a vice-diretora da escola estadual, Monick Rodrigues Bragança, o surto ocorreu, há cerca de 20 dias, com os alunos do período da noite da Escola de Jovens e Adultos (EJA). ?Assim que soubemos dos casos, ligamos para a Secretaria de Saúde, para que as providências cabíveis fossem tomadas?.

Apesar do controle feito pela prefeitura, as notificações acendem um alerta: é preciso que a população se conscientize e atualize o cartão de vacina. ?O inverno é o período do ano que exige maior atenção para os casos de caxumba, uma vez que o vírus da doença se propaga com mais facilidade em aglomerados de pessoas?, explicou Nilvan Baeta, diretor de Vigilância em Saúde de Betim. 

Para ficar imunizado, é preciso tomar a primeira dose da tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) aos 12 meses, e, depois, a segunda dose, aos 15 meses. Caso a pessoa não tenha tomado nenhuma das doses e tiver até 29 anos, precisa tomar as duas doses da tríplice viral. Já quem possui entre 30 e 49 anos, e não foi imunizado com a tríplice viral, receberá apenas uma dose da vacina. Na dúvida, vá até algum posto de saúde.