ALMG vai ser palco de audiência pública sobre golpe militar de 1964

Recentes discussões pelos 55 anos do ato levam Covet-MG a exigir debate para resgatar história na Assembleia Legislativa

Fred Magno


Beatriz Cerqueira disputa o comando da comissão de educação da ALMG
Um pedido para realização de uma audiência pública para resgatar a história e relembrar o golpe militar ocorrido no Brasil em 1964 foi acatado na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) na última quinta-feira (28), pela deputada estadual Beatriz Siqueira (PT). O pedido foi feito pela Comissão da Verdade dos Trabalhadores e do Movimento Sindical em Minas Gerais - Covet-MG.

A solicitação foi feita após manifestações que colocam em xeque a ilegalidade do ato, inclusive pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). De acordo com a justificativa, o objetivo da audiência é "discutir seus efeitos nefastos para a classe trabalhadora e o povo brasileiro", conforme diz o documento assinado pelo coordenador da comissão Everson de Alcântara Tardeli.

Ao acatar o pedido, a deputada afirma que é preciso "fazer um resgate histórico dos efeitos, para a sociedade brasileira, do golpe de 1964, que deu início a uma infeliz página da história brasileira em que o regime militar adotou forte repressão contra pessoas e organizações sociais, promovendo prisões, torturas e assassinatos".

Ainda não foi divulgada a data para a realização da audiência.