Estudante aponta arma falsa para colegas para 'testar segurança' de escola

Adolescente usou madeira e fita isolante para fazer equipamento

Diante do massacre na cidade de Suzano, em São Paulo, nesta semana, no qual dez pessoas morreram dentro da Escola Estadual Raul Brasil, outros casos começam a surgir. Nessa quinta-feira (14), um adolescente de 16 anos foi apreendido em Cambuí, no Sul de Minas, com um simulacro de arma. À Polícia Militar, ele afirmou que levou o objeto para a escola municipal em que estuda para "testar a segurança" da instituição de ensino. "Nós recebemos a informação que esse aluno foi para a aula normalmente, saiu durante o horário escolar e já retornou com o simulacro. Ao chegar, ele foi em direção a uma sala de aula e, sem dizer nada, apontou o objeto para outros estudantes e funcionários. Em seguida, ele saiu novamente", explicou o capitão Luiz Orione, comandante da 149ª Companhia de Cambuí. Ainda conforme o militar, o garoto passou fita isolante em um pedaço de madeira para fazer o simulacro. Ele, que não havia sido apreendido anteriormente, foi localizado na rua.  "Os alunos e funcionários ficaram assustados com a situação. Além de fazer isso, o adolescente ainda tirou uma foto, aparentemente, no banheiro da instituição com o simulacro e postou em uma rede social. Post nas redes sociais No post, já apagado, o aluno escreveu: "Hj entrei com uma arma de brinquedo na escola fiz isso para demonstrar q se fosse arma real poderia ser a mesma tragédia de Suzano presisamos de mais segurança nas escolas por favor (SIC)" O jovem foi conduzido à delegacia da cidade. Por telefone, a reportagem de O TEMPO foi informada que a secretária de Educação está em reunião. No entanto, uma funcionária da pasta afirmou que haverá um encontro na tarde desta quinta-feira (15) entre representantes da secretaria e do Ministério Público para decidir se aluno será transferido da escola. Questionada se o estudante já apresentava algum histórico de violência no ambiente escolar, a funcionária alegou que, por ele ser menor, esse tipo de informação, no momento, não será passada. Em acordo com o Ministério Público, a assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que o delegado não vai passar detalhes  do caso. Um inquérito foi aberto. Atualizada às 11h52.