Buscas em Brumadinho devem durar cerca de mais 50 dias, dizem Bombeiros

O desastre deixou 179 mortos e outras 131 pessoas permanecem desaparecidas

[imageme28750]Os trabalhos de buscas pelas vítimas do rompimento da barragem I, da mina de Córrego do Feijão, da Vale, em Brumadinho, na região metropolitana, devem durar mais cerca de 50 dias, de acordo com o comandante-geral do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, coronel Edgard Estevo da Silva.

Ele participa de uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais na manhã desta terça-feira (26) para debater as causas e as consequências da tragédia. 

?A nossa previsão é de aproximadamente 50 dias, mas isso ainda depende muito de como vai andar todo o trabalho, a questão biológica de cada um dos segmentos encontrados, mas a previsão para o trabalhos é de mais 50 dias, que pode variar um pouco?, afirmou o coronel.

Segundo ele, as buscas estão na terceira fase. ?Nós estamos diminuindo o número de homens e aumentando o número de máquinas, é um momento que temos que revirar todo o rejeito e estamos encontrando corpos e segmentos que estão um metro e meio abaixo dos rejeitos?, explicou. 

A promotora de Justiça Marta Alves Larcher, que representa a força-tarefa que investiga criminalmente a tragédia em Brumadinho, também participa da audiência e ressaltou que há indícios de que os problemas técnicos da barragem já eram conhecidos por alguns setores da Vale. ?Principalmente os setores operacionais, isso pela troca de e-mails, mas até que ponto as instâncias superiores tinham conhecimento disso a gente não pode mencionar agora?, pontuou. 

Nesta segunda-feira (25), a tragédia provocada pelo rompimento da barragem completou um mês. O desastre deixou 179 mortos e outras 131 pessoas permanecem desaparecidas.