Flexibilização de licença ambiental gera polêmica com Lamac na Rede

Membro do partido questiona votação quando o vice-prefeito ainda era do PT

Um áudio enviado à executiva nacional da Rede Sustentabilidade expõe, mais uma vez, os rachas internos do partido em Minas. O autor é o membro da direção estadual e presidente do Comitê Hidrográfico de Uberlândia Gustavo Malacco. Na mensagem enviada ao porta-voz nacional da Rede, Pedro Ivo, Malacco tece críticas ao vice-prefeito de Belo Horizonte, Paulo Lamac.

?Não custa lembrar que o senhor Paulo Lamac, quando era deputado, votou a favor da flexibilização da licença ambiental em Minas?, afirma ele no áudio enviado na noite de sexta-feira (25), mesma data do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho.

Malacco se refere ao Projeto de Lei 2.946/2015, de autoria do ex-governador Fernando Pimentel (PT). O PL propunha novas diretrizes para licenciamentos ambientais no Estado e foi aprovado na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG)por 57 votos a nove. O projeto foi alvo de críticas por parte de entidades ambientais, que alegavam que o texto da lei diminuía o poder de fiscalização de órgãos que fiscalizam e defendem o meio ambiente. À época, Lamac era deputado estadual pelo PT e, de fato, votou a favor do projeto.

Em janeiro de 2016, Pimentel sancionou a lei. No início daquele mesmo ano, o vice-prefeito da capital mineira filiou-se à Rede. ?A gente esperava que a Rede, pelo menos na parte ambiental, tivesse cuidado com esse tipo de gente?, diz Malacco em outro trecho do áudio.

Procurado, Paulo Lamac se defendeu das críticas: ?É um projeto que foi antes da minha entrada na Rede e ele não versa especificamente sobre licenciamento de barragens?. Segundo Lamac, o voto favorável em nada tem a ver com mineração, especificamente, e trata apenas de empreendimentos de pequeno impacto ambiental.

Em conversa com a reportagem, Malacco confirmou que, quando da entrada de Lamac na Rede, disse para membros da executiva nacional que não considerava benéfico esse ingresso ?por conta desse voto em relação à flexibilização ambiental?. No entanto, ele diz que, hoje, mantém uma relação cordial com Lamac. Sobre a Rede, ele afirma que o partido tem problemas que são tratados internamente.

As polêmicas envolvendo o nome de Lamac na legenda não vêm de agora. Um dos fundadores da sigla em Minas, Izinho Benfica foi expulso do partido em dezembro passado. Ele culpa o vice-prefeito de BH pelo seu processo de exclusão, que durou seis dias, segundo o ex-membro da Rede. ?O Paulo virou dono do partido. O pessoal até criou um apelido para a ala PPL, que é o Partido Paulo Lamac. Ele é o responsável por liderar essa ala que não aceita opinião diversa?, diz.

Lamac rechaça a afirmação e mantém o discurso de que o partido é democrático e que não permite que membros que exercem mandatos estejam nas coordenações estaduais, o que invalidaria o discurso de Izinho. ?Disputas internas existem em qualquer partido. Na Rede, procuramos fazer de maneira transparente e construtiva. Ex-membros não têm que se manifestar sobre questões internas do partido. Não vou ficar rivalizando com pessoas que não fazem mais parte da legenda?, completou Lamac.