União diz que MG deve fazer proposta para aderir ao RRF em fevereiro

Gestão Pimentel não demonstrou interesse em aderir ao socorro do governo federal

O governo de Minas Gerais deve entregar uma primeira versão de seu plano de recuperação fiscal em fevereiro, disse o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida. Ele lembrou que a gestão anterior do Estado não havia sequer demonstrado interesse em aderir ao socorro, que requer uma série de contrapartidas, como aumento da alíquota previdenciária de servidores e privatizações, mas destacou que o novo governo já recebeu uma missão técnica do Tesouro e está elaborando o plano. O Rio Grande do Sul também quer entrar no regime, destacou Mansueto. Nesse caso, ele lembrou que a resistência da gestão anterior em privatizar o Banrisul, principal ativo do Estado, "foi um dos empecilhos" na negociação. "Temos que ver como vai ser com essa", disse. O governador gaúcho, Eduardo Leite, já afirmou diversas vezes que a privatização do Banrisul está fora de cogitação. Confrontado com essa informação, Mansueto disse apenas que "o governador tem o direito de colocar a proposta dele". "Veremos se se adequa", afirmou o secretário.