Professora morta depois de salvar crianças em Janaúba dá nome a via

Rodovia LMG-631, que liga o município de São João da Ponte à BR-122, em Francisco Sá, na microrregião de Montes Claros, passa a se chamar Helley de Abreu Batista

A professora Helley de Abreu Batista, que morreu depois de salvar crianças de um incêndio criminoso na creche Gente Inocente, em Janaúba, recebeu homenagem por meio da Lei 23.231, que intitula uma rodovia em Montes Claros, cidade onde a docente nasceu, com o nome dela. A lei foi publicada no último sábado (5) no Diário Oficial de Minas Gerais.

Com a lei, a rodovia LMG-631, que liga o município de São João da Ponte à BR-122, no município de Francisco Sá, localizado na microrregião de Montes Claros, passa a se chamar Rodovia Professora Helley de Abreu Batista. A lei é de autoria do deputado João Leite (PSDB) e foi aprovada pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG ) em dezembro passado.

Segundo o parlamentar, a professora se mostrou como exemplo de amor e bravura ?ao sacrificar a própria vida para salvar seus alunos do incêndio criminoso?.

Em junho de 2018, a professora também recebeu homenagem da Polícia Militar

Relembre

Helley de Abreu Batista teve 90% do corpo atingido pelo fogo e morreu depois de ter salvado 25 crianças que estavam na creche Gente Inocente, no momento em que o vigilante noturno Damião Soares dos Santos ateou fogo no próprio corpo e abraçou as crianças.

Na semana do incêndio, a professora havia preparado presentes que seriam entregues às crianças da creche.

A professora deixou o marido Luís Carlos Batista, com quem foi casada 23 anos, e três filhos. Um deles era um bebê de um ano e três meses, na data do crime.