Kalil diz que vai apoiar Bolsonaro: 'Eu vou onde tem dinheiro'

Eu reunião em sua residência, o prefeito deixou claro que vai deixar o PHS, pois, segundo ele, o partido não vai sobreviver

O prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PHS) deixou claro, em reunião na manhã desta segunda-feira (10) que vai deixar o PHS, partido pelo qual é filiado. Kalil não adiantou para qual legenda irá. Ele também afirmou que vai se alinhar ao governo de Jair Bolsonaro, pois segundo ele, é preciso ter boa relação com a presidência da república em busca de investimentos para a cidade. 

"Claro que vou (apoiar Jair Bolsonaro)! Vou onde tem dinheiro! Quem abraça com pobre termina por baixo, quem sentar naquela cadeira eu vou apoiar", ressaltou o prefeito, que preferiu não comentar as denúncias de movimentação financeira milionária registrada pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) por parte do ex-assessor Fabrício José de Queiroz, envolvendo família Bolsonaro.

"Eu quero saber de verba para Belo Horizonte. Quem cuida de denúncia é juiz", afirmou. 

Convite 

As declarações foram feitas em reunião com lideranças do PSD, em sua residência no Bairro de Lourdes. Kalil recebeu o convite do presidente nacional do Partido, e ministro de ciência e tecnologia, inovação e comunicações, Gilberto Kassab (PSD) para se filiar. O prefeito afirmou que ainda não se decidiu, mas deixou claro sua saída do PHS, que não atingiu a cláusula de barreira.  "O partido acabou. Ele vive uma guerra fraticida", exclamou. 

Além de Kalil, e Kassab outras lideranças do PSD participaram da reunião. 

O prefeito também comentou a eleição na Câmara Municipal de Belo Horizonte. Ele preferiu não adiantar nomes, mas disse que acredita que seu grupo político irá comandar a casa. 

"Vai sair um candidato de lá e vai ganhar, como ganhamos todas as votações nesses dois anos", disse.