Natal 2018 deve ser mais farto para lojistas de BH e região

Na capital, por exemplo, faturamento deve crescer 3,1%

O Natal 2018 promete aquecer o comércio varejista em Belo Horizonte. É o que revela pesquisa realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH). De acordo com o estudo, 74,4% dos consumidores presentearão alguém no fim deste ano. Entre eles, a maior parte (70,4%) pretende comprar até quatro presentes (no ano passado a média era de três). Em função disso, a expectativa é que o faturamento do setor cresça 3,1% na comparação com 2017, totalizando um montante em vendas de R$ 3,3 bilhões.

Para o presidente da entidade, Bruno Falci, o apelo emocional que a data possui e a melhora no cenário econômico do país nos últimos meses fazem com que as pessoas desejem comprar mais lembranças para familiares e amigos. ?Ninguém quer deixar a data passar em branco. Mesmo que seja com itens de menor valor, as pessoas buscam presentear?, diz.

Ele ainda destaca que ?esse aumento no número de itens que serão comprados é um sinal positivo para o comércio, pois mostra que os consumidores estão otimistas com o futuro da economia em 2019?, comenta.

No entanto, apesar do crescimento, Falci aponta que os clientes estão planejando reduzir o valor desembolsado com cada produto. ?Neste ano, o tíquete médio esperado é de R$ 87,80. Em 2017, foi de R$ 107,82. Isso acontece porque os clientes costumam presentear várias pessoas, e para conseguir fazer isso sem se endividar eles estão optando por adquirir itens de menor valor?, comenta.

Betim

O Natal para os betinenses, na região metropolitana, também promete ser positivo. Segundo a CDL da cidade, a expectativa é de que o setor cresça 2,5% em relação ao ano passado. De acordo com a entidade, o tíquete médio gasto pelo consumidor será de R$ 130, valor 18,25% menor que o registrado no ano passado (R$ 160).

O presidente da CDL de Betim, José de Oliveira Barboza, acredita que mesmo com um poder de compra aparentemente reduzido, o consumidor não deixará de ir às compras. Os itens mais procurados pelos consumidores serão vestuários, brinquedos, perfumes e cosméticos, além dos aparelhos eletrônicos.

A orientação do órgão é para que os lojistas se preparem bem, organizando a equipe de vendas, elaborando uma vitrine chamativa, além de oferecer brindes e descontos para atrair novos clientes e fidelizá-los.

Contagem

Já a CDL de Contagem aposta em um crescimento de 8% nas vendas para o Natal, índice superior ao mesmo período de 2017, quando a expectativa ficou entre 5% e 6%. ?Isso se deve, principalmente, ao cenário econômico mais favorável do país, à queda da taxa de juros e da inflação, além da retomada do crédito e aumento do Produto Interno Bruto (PIB)?, frisa o presidente da entidade, Frank Sinatra Santos Chaves.

O valor do tíquete médio no município será de R$ 100. A aposta do comércio local é nos setores de vestuário, brinquedos, perfumaria e cosméticos, calçados, joias e de alimentos.

Brasil

De acordo com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 72% dos brasileiros planejam comprar presentes para terceiros no Natal deste ano. A expectativa é de que mais de cem milhões de consumidores se mobilizem para garantir alguma lembrança. Em termos de arrecadação, as projeções permanecem no mesmo patamar do último ano e indicam uma injeção de aproximadamente R$ 53,5 bilhões na economia.