Médicos cubanos não atendem mais em Valadares

Segundo o secretário Municipal de Saúde, José Eustáquio Natal, a Coordenação Regional do “Mais Médicos” estima que os novos médicos cheguem para cobrir essas vagas no início de dezembro.

Os 7 (sete) médicos cubanos vinculados ao Programa “Mais Médicos” do Governo Federal em Governador Valadares se desligaram das funções nesta quarta-feira (21) por determinação de Cuba. Mediante a comunicação, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) está alinhando com os médicos contratados da rede para que realizem atendimento duas vezes na semana nas unidades onde os cubanos trabalhavam. São elas: ESF Santa Terezinha, ESF Santa Rita III, ESF Nova JK I, ESF Santa Efigênia, ESF Pontal, ESF Itapinoã, ESF Altinópolis IV.

Segundo o secretário Municipal de Saúde, José Eustáquio Natal, a Coordenação Regional do “Mais Médicos” estima que os novos médicos cheguem para cobrir essas vagas no início de dezembro. O processo seletivo é totalmente realizado pelo Ministério da Saúde, sem participação do Município. Dos 42 médicos que trabalham no Programa “Mais Médicos” na cidade, sete eram cubanos.

O Programa Mais Médicos teve início em Valadares em 2014 com 19 profissionais cubanos, mas 12 se desligaram por motivos diversos como aprovação em processo de residência, para se dedicar aos estudos e por motivos de saúde. Nesta quarta-feira saíram os outros sete. A rede municipal de atenção básica à saúde conta com 10 (dez) Unidades Básicas de Saúde, 1 (um) Centro de Atenção ao Idoso e 61 (sessenta e uma) Estratégias de Saúde da Família (ESF).