Prefeitos do Mucuri e Jequitinhonha acampam na portaria principal da ALMG

AMM pediu a intervenção federal em Minas por causa de dívida do estado com os municípios


Prefeitos do Mucuri e Jequitinhonha acampados em frente a ALMG

Prefeitos dos vales do Mucuri e Jequitinhonha montaram acampamento, no final da manhã desta terça-feira, em frente à portaria principal da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Eles protestam contra o atraso no repasse de verbas do Estado para os municípios.

Intervenção Federal

O presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM) e prefeito de Moema, Julvan Lacerda (PMDB), entregou nesta segunda-feira ao presidente da Michel Temer (PMDB) um pedido de intervenção federal em Minas Gerais.

A justificativa, segundo Julvan, é a situação de atrasos de repasses do governo do estado para as prefeituras e o fim das possibilidades de diálogo com a admininistração de Fernando Pimentel. Segundo levantamento da AMM, a dívida já está acima de R$ 10 bilhões. Ao todo, 18 associações de microrregiões assinam o pedido.

O presidente Michel Temer participou hoje de encontro com prefeitos na sede da Confederação Nacional de Municípios (CNM), em Brasília. No pedido entregue a Temer, Julvan usa o artigo 34 da Constituição que trata das possibilidades de o governo federal intervir nos estados, entre elas “deixar de entregar aos municípios receitas tributárias fixadas, dentro dos prazos estabelecidos em lei”.

“Tentamos o diálogo. Entramos com diversas ações, buscamos apoio de todos os poderes e nada. A dívida do Estado com os municípios só aumenta e já passa dos R$ 10 bilhões. O Estado voltou a confiscar o ICMS semanal e os municípios não aguentam mais”, afirmou.

Ainda de acordo com Julvan, os prefeitos estão passando aperto para fechar as contas e conseguir arcar com as demandas. “Por isso, estamos aqui, em Brasília, requerendo essa intervenção ao presidente Temer. A situação é gravíssima e as prefeituras estão à beira de fechar as portas, desencadeando uma crise sem precedentes em Minas Gerais”, declarou.

Ainda de acordo com o presidente da AMM, Michel Temer prometeu tomar providências.