Melhor ataque não regula e Atlético busca explicações para falta de pontaria

Atlético continua com boa média de finalizações, mas completa dois jogos sem marcar

Apesar de ter o melhor ataque do Campeonato Brasileiro, com 36 gols em 21 jogos, o Atlético não conseguiu marcar nas duas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro. E não foi por falta de tentativas. A equipe teve uma média de 16,5 finalizações nos dois confrontos, mas, mesmo assim, não conseguiu balançar as redes adversárias nenhuma vez. O que pode ter acontecido para a pontaria alvinegra não ter sido mais a mesma? O SUPER FC levantou algumas hipóteses para a recente seca de gols. Um primeiro fator pode estar ligado à ansiedade. O Galo tem tido chances claras, porém os atletas vêm tomando decisões erradas e mostrado falta de capricho na hora de colocar a bola para dentro. Outra dificuldade seria a pressão por resultados para o time não perder fôlego entre os primeiros colocados. Como o alvinegro está disputando somente o Brasileirão e os próprios jogadores vêm afirmando que o principal objetivo é o título, o aumento da distância para os líderes pode estar deixando os atleticanos menos tranquilos na hora de finalizar. Outro problema é a oscilação da equipe em campo. No fechamento do primeiro turno, após as vitórias contra Santos (3 a 1) e Botafogo (3 a 0), parecia que o Galo seguiria evoluindo em suas atuações. No entanto, o time voltou a registrar rendimentos inferiores diante de Vasco e Vitória. Além disso, no Barradão, o time comandado por Thiago Larghi demonstrou desorganização em alguns momentos do duelo, fato que parecia superado pelos atleticanos após as muitas mudanças para a sequência do ano depois da Copa do Mundo. O comandante alvinegro pediu paciência à torcida por conta do jejum de gols. ?Temos um grupo experiente, maduro e de qualidade. Tivemos uma oportunidade ali no primeiro minuto, que certamente obrigaria o Vitória a se expor de alguma forma desequilibrada. Mas não adianta lamentarmos o que aconteceu. Peço paciência, pois o grupo está trabalhando e sabe o que tem que fazer. Ao mesmo tempo, temos o melhor ataque da competição?, afirma. Segundo melhor. O Atlético é o time que mais finalizou no Brasileiro: 282 vezes (155 erradas e 127 certas), média de 13,4 por jogo. A equipe precisa de 7,8 finalizações para cada gol, a segunda melhor média da competição, ficando atrás apenas do São Paulo, que faz um gol a cada 6,8 finalizações.

 

Após reclamar, Ricardo Oliveira desperdiça chances claras

O atacante Ricardo Oliveira chegou a reclamar, principalmente logo após a Copa do Mundo, que vinha recebendo poucas bolas para finalizar no ataque atleticano. Porém, nos últimos três jogos, o jogador não tem do que reclamar. Muito pelo contrário. Precisa ser cobrado pelas chances claras que desperdiçou, principalmente nas duas últimas rodadas, quando o alvinegro não conseguiu vencer. O camisa 9 é o vice-artilheiro do Brasileirão, com nove gols. No entanto, se tivesse calibrado melhor a pontaria nos três últimos embates, poderia ter assumido a liderança no quesito gols e ajudado o alvinegro, contra Vasco e Vitória, a obter melhores resultados. No último domingo, contra rubro-negro baiano, o atacante teve duas chances cara a cara com o goleiro rival: em uma ele chutou para fora, na outra, Ronaldo defendeu. Contra o Vasco, Ricardo Oliveira voltou a ficar diante do arqueiro adversário e finalizou mal. Na vitória contra o Botafogo, por 3 a 0, ele também desperdiçou chance clara.