Acordo encerra disputa de sócios da Usiminas

Ternium e Nippon concordam em manter Sergio Leite no comando da siderúrgica

A conciliação da ítalo-argentina Ternium e a japonesa Nippon Steel, as sócias majoritárias da Usiminas, finalmente aconteceu. O acordo foi divulgado nesta quinta-feira (8) à noite por meio de um fato relevante da Usiminas e confirmado pelas partes. Dessa forma, as disputas em torno da gestão da siderúrgica mineira, que se arrastam desde 2014, devem ficar no passado.

O pacto para uma nova governança inclui alternância para a indicação do CEO e do presidente do conselho de administração (Chairman), assim como um novo mecanismo para indicação de outros membros da diretoria da Usiminas, além de um mecanismo que permite deixar o investimento na siderúrgica mineira, que divulga o balanço de 2017 nesta sexta-feira (9).

O direito de indicação do presidente (CEO) e do Chairman passa a ser alternado entre as duas sócias em intervalos de quatro anos, compreendendo dois períodos consecutivos de dois anos cada um, segundo o fato relevante.

Para os quatro anos iniciais, a Ternium terá o direito de indicar o CEO e a Nippon, o presidente do conselho de administração. Inicialmente, num consenso, ambas as sócias pretendem indicar Sergio Leite para CEO da Usiminas (ele já está no cargo) e Ruy Hirschheimer para presidente do conselho de administração, respectivamente.

A diretoria da Usiminas será composta por um total de seis membros, incluindo o CEO e cinco vice-presidentes). Cada uma das sócias indica três membros cada. As indicações vão ser feitas na eleição para diretoria da Usiminas, marcada para maio deste ano.

A Ternium, em nota, confirma o acordo que, conforme a empresa, é vinculante e tem efeito imediato.
A sócia japonesa confirma a informação. Entretanto, a nota oficial sobre o assunto só seria divulgada após o fechamento desta edição em razão do fuso horário japonês.

A briga entre Nippon e Ternium começou em 2014, quando o então presidente, o argentino Julian Eguren, foi destituído e substituído por Rômel de Souza. Desde então, as sócias travam disputas que chegaram na Justiça.

Ações suspensas. Como parte do acordo, Ternium e Nippon darão todos os passos necessários para terminar ou resolver amigavelmente todas as disputas judiciais e administrativas pendentes.