Secretários de Pimentel deixam cargos para disputar eleições

Pelo menos seis titulares de pastas como Saúde, Educação e Turismo vão sair no dia 31 de janeiro. Eles vão concorrer a cargos na Câmara dos Deputados ou Assembleia

Foto: Tulio Santos/EM/D.A Press

Assim como está ocorrendo no governo do presidente Michel Temer (MDB) em Brasília, as eleições de outubro vão provocar baixas no secretariado de Minas Gerais. Pelo menos seis titulares de pastas do primeiro escalão e dois dirigentes de estatais devem deixar os cargos e ser substituídos pelos secretários-adjuntos já nesta quarta-feira, dia 31. Apesar de o prazo exigido pela Justiça Eleitoral para desincompatibilização terminar em abril, o governador Fernando Pimentel (PT) resolveu antecipar a saída dos nomeados para exigir dos que ficarem dedicação integral.

Entre os secretários que sairão para concorrer, a novidade é a de Educação, Macaé Evaristo (PT), que tentará pela primeira vez disputar o cargo de deputada estadual. Também deixam os cargos os deputados estaduais licenciados Sávio Souza Cruz (MDB), da Saúde, e Ricardo Faria (PCdoB), de Turismo, que retornam à Assembleia.

Os titulares de Desenvolvimento Agrário, professor Neivaldo (PT), e do Desenvolvimento Integrado e dos Fóruns Regionais, Wadson Ribeiro, do PCdoB, também saem para disputar uma vaga de deputado estadual. Suplente, Neivaldo chegou a exercer o mandato no Legislativo no ano passado.

Já Nilmário Miranda (PT) deixa a pasta de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania para se candidatar a deputado federal, cargo que ele já ocupou quatro vezes e do qual é suplente. Os dois únicos secretários parlamentares que não devem sair, pelo menos por enquanto, são o de Governo, Odair Cunha (PT), e o de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Miguel Corrêa, ambos são deputados federais e anunciaram publicamente não ter a intenção de disputar cargos eletivos este ano.

Miguel Corrêa, no entanto, admite a possibilidade de se candidatar em alguma composição, como suplente de senador, caso seja requisitado pelo partido. Nesta semana, ele disse aos eleitores em uma rede social que não concorrerá ao cargo de deputado federal. Em seu lugar, lançará a irmã, Cristina Corrêa.

O parlamentar disse que a decisão foi tomada após conversas com o governador e com sua família. O petista diz apostar na reeleição de Pimentel e na continuidade no trabalho à frente da secretaria. Segundo aliados, apesar da negativa, Miguel Corrêa também pode concorrer para deputado estadual.

Na Codemig, o atual vice-presidente Gustavo Pires vai sair do cargo para se dedicar à campanha de deputado federal. O vice-presidente da Copasa, Antônio Cesar Pires de Miranda Junior, conhecido como Juninho da Geloso, também tenta vaga na Câmara dos Deputados.

Segundo o secretário de Governo, Odair Cunha, a determinação do governador de antecipar as trocas no secretariado foi para não prejudicar a administração, especialmente neste momento de crise. “Nós enfrentamos um momento de dificuldade que é conhecido de todos e é preciso que os agentes políticos do estado estejam focados na solução dos problemas. As candidaturas são legítimas mas o governador quer que os secretários estejam 100% focados na gestão”, disse.

Odair disse que as secretarias serão reorganizadas com os próprios adjuntos assumindo as funções dos titulares. A ordem para antecipar as saídas por causa das eleições também abrange as estatais Cemig, Codemig e Copasa.

Saiba quem sai:

Secretários

Macaé Evaristo (PT) - Educação -Deputada estadual

Sávio Souza Cruz (MDB) - Saúde - Deputado estadual

Ricardo Faria (PCdoB) - Turismo - Deputado Estadual

Professor Neivaldo (PT) - Desenvolvimento - Agrário Deputado estadual

Wadson Ribeiro (PCdoB) - Desenvolvimento Integrado e dos Fóruns Regionais - Deputado estadual

Nilmário Miranda (PT) - Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania - Deputado federal

Nas estatais

Gustavo Pires (PROS) - Vice-presidente da Codemig - Deputado federal

Juninho da Geloso (PR) - Vice-presidente da Copasa - Deputado federal