Prefeitura de Ipatinga contrata Agentes de Combate a Endemias e reforça trabalho de prevenção

Os 61 novos Agentes de Combate a Endemias trabalharão por três meses, sob o regime de contrato temporário


Uma importante contratação feita pela Prefeitura de Ipatinga permitirá que o trabalho de combate ao mosquito Aedes Aegypti e às doenças Dengue, Zika e Chikungunya continue intensificado no município. Após a realização das etapas do processo seletivo, 61 novos Agentes de Combate a Endemias (ACE’s) assumiram seus cargos e foram recebidos pelo prefeito Nardyello Rocha juntamente com a secretária municipal de Saúde, Érica Dias, no sétimo andar da PMI, para as boas-vindas. Com este reforço de pessoal, a Secretaria Municipal de Saúde espera concluir em menor tempo a vistoria nas residências e também em imóveis fechados.

Em sua fala, o chefe do Executivo reforçou o compromisso com os servidores públicos e destacou a importância da motivação para a boa realização dos trabalhos.

“Vocês vão entrar no lugar mais sagrado para as pessoas, que é o seu lar, a sua casa. E lá vocês vão abordar assuntos que refletem na saúde da cidade. A população precisa trabalhar juntamente com o poder público para manter as ruas e os bairros limpos, porque é no lixo acumulado que se encontram os principais focos do mosquito”, comentou. Atualmente, a Prefeitura desenvolve uma força-tarefa de limpeza nas comunidades. “Nós precisamos que todos cuidem de Ipatinga, e nisto vemos a importância da atuação e do trabalho de vocês”, reforçou Nardyello.

Nos quatro primeiros meses do ano, o município vivenciou um período de epidemia de Dengue e Chikungunya. Alguns bairros registraram 11,4% de infestação larvária, enquanto o preconizado pelo Ministério da Saúde é de no máximo 1% para se evitar epidemias. Logo após o levantamento dos índices, com a limpeza de ruas, vistorias domiciliares e aplicação de fumacê houve uma queda de 60% de notificações das doenças na cidade. A taxa de incidência, que era de 755 notificações por grupo de 100 mil habitantes no mês de abril, caiu para 305 casos/100 mil habitantes, em maio e junho.

Contudo, de acordo com a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Mara Fernanda Alves, mesmo com a queda de notificações das doenças e com o fato de estarmos no inverno, Ipatinga continua registrando casos de Dengue e Chikungunya, provocados pela circulação do Aedes.

“Não podemos interromper o combate ao mosquito. O trabalho de fiscalização para eliminar a água parada precisa ser rotina todos os dias dentro de casa, uma vez que 80% dos focos são residenciais. Um período como esse, de inverno, quando bem trabalhado favorece a baixa infestação do mosquito como prevenção para o período chuvoso, favorável à proliferação do Aedes”, enfatiza.