Um dia após derrota, Alemanha fecha treino e cancela até entrevista de Lahm

A decisão de cancelar todas as atividades voltadas à imprensa, sem aviso prévio, foi considerada uma represália por diversas críticas de jornalistas do país à seleção

A derrota para o México por 1 a 0 na estreia na Copa do Mundo, no domingo (17), parece não ter sido bem digerida pela Alemanha. Nesta segunda-feira (18), os atuais campeões do mundo fecharam o treinamento e cancelaram todas as atividades relacionadas à imprensa. Sobrou até para o ex-jogador Philipp Lahm, que se juntou ao grupo como embaixador da federação do país e tinha entrevista coletiva programada. A decisão de cancelar todas as atividades voltadas à imprensa, sem aviso prévio, foi considerada uma represália por diversas críticas de jornalistas do país à seleção. Problemas de relacionamento e crise interna foram noticiados nos últimos dias. A expectativa, de acordo com a imprensa local, é que a equipe de Joachim Löw volte a treinar com os portões abertos aos jornalistas nesta terça (19), um dia antes de partir para Sochi -local no qual vai encarar a Suécia, no próximo sábado (23), pela segunda rodada. Com o contato com jornalistas cancelado, coube a Lahm conversar com estudantes. Ainda assim, o tema, claro, foi o revés surpreendente de uma das favoritas ao título, dominada pelos mexicanos ao longo da partida de domingo. Lahm, porém, demonstrou otimismo: "A equipe é experiente, a comissão técnica é experiente. Eles sabem como lidar com a derrota. Tudo é possível", comentou o ex-jogador. Em declarações reproduzidas pelo jornal Bild, Lahm tratou a derrota como um pequeno contratempo. "O México jogou muito bem, foram muito agressivos. A equipe alemã simplesmente não conseguiu reagir. Isso pode acontecer", avaliou.